Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares dos EUA prometem responder a possível ataque turco contra cidade síria de Manbij

Os militares norte-americanos prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade síria de Manbij à luz de uma possível operação turca na área, afirmou o comandante do Conselho Militar de Manbij, que faz parte das Forças Democráticas da Síria (FDS), Ebu Adil.
Sputnik

Em entrevista à Sputnik Turquia, Ebu Adil comentou a resposta dos EUA às preocupações expressas pelos representantes do Conselho Militar de Manbij devido a um possível ataque contra a cidade síria por parte de Ancara.


"Há dois anos, em conjunto com as forças da coalizão liderada pelos EUA, nós limpamos Manbij do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Desde então, na cidade se encontram forças da coalizão. Algum tempo atrás, nós falamos com os militares norte-americanos sobre um possível ataque da Turquia contra Manbij. Os militares dos EUA prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade, de onde quer que ele provenha", afirmou o comandante do conselho.

Além disso, ele …

China diz que ataque na Síria viola lei internacional e pede diálogo

O Ministério das Relações Exteriores da China disse neste sábado que acredita que um acordo político é a única maneira de resolver a questão síria e pediu uma investigação completa, justa e objetiva sobre os supostos ataques com armas químicas na Síria.


Brenda Goh | Reuters

XANGAI - Hua Chunying, porta-voz do ministério, fez os comentários em uma entrevista coletiva, de acordo com uma transcrição publicada no site do ministério. Forças norte-americanas, britânicas e francesas atacaram a Síria com mais de 100 mísseis no sábado, nos primeiros ataques ocidentais coordenados contra o governo de Damasco.


Resultado de imagem para Hua Chunying
Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China | Reprodução

Hua disse que a China sempre se opôs ao uso da força nas relações internacionais e que qualquer ação militar que contorne o Conselho de Segurança da ONU viola os princípios e normas básicas do direito internacional.

Postar um comentário