Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Governo saudita diz que rei e príncipe herdeiro são 'linha vermelha'

O ministro de Relações Exteriores saudita, Adel al-Jubeir, afirmou que o rei Salman bin Abdulaziz e o príncipe Mohammed Bin Salman são uma "linha vermelha" para a Arábia Saudita e rejeitou o suposto envolvimento do herdeiro da coroa saudita no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.
EFE

Riad - "A liderança do reino da Arábia Saudita representada nas guardas das duas mesquitas sagradas (o rei) e o príncipe herdeiro são uma linha vermelha e não permitiremos tentativa algum de atacar nossos líderes", afirmou Al-Jubeir em entrevista publicada nesta terça-feira o jornal árabe internacional "Asharq Al-Awsat".


"Atacar os líderes do reino é tocar em todos os cidadãos", acrescentou.

O ministro fazia alusão às versões que vinculam o príncipe Mohammed com a morte do jornalista no consulado saudita em Istambul em 2 de outubro.

Veículos de imprensa americanos informaram na sexta-feira que a CIA tinha concluído que o herdeiro saudita ordenou o assassinato de Kh…

China pede por calma e contenção em relação à questão da Síria

A China manifestou na quinta-feira preocupação com as crescentes tensões na Síria e pediu que todas as partes relacionadas mantenham calma e demonstrem moderação.


Xinhua

Beijing - O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Geng Shuang, fez as declarações em uma entrevista coletiva.

Resultado de imagem para Geng Shuang
Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang | Reprodução

De acordo com reportagens da mídia, um funcionário russo disse que seu país está disposto a abater todo e qualquer míssil disparado pelos Estados Unidos contra a Síria. Nos últimos dias os EUA ameaçaram usar forças militares a qualquer momento.

"A China está preocupada com a possibilidade de uma escalada da tensão", afirmou Geng.

Ele disse que o ministro das Relações Exteriores, Wang Yi, conversou sobre a atual situação na Síria com o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres.

A China mantém contato com outros membros do Conselho de Segurança da ONU em relação à questão, incluindo os Estados Unidos e a Rússia, além de outros países da região, acrescentou Geng.

"A China defende sempre a solução pacífica de disputas, opõe-se ao uso ou ameaças de uso da força militar nas relações internacionais e sempre apoia o tratamento de questões de acordo com a Carta da ONU", assinalou o porta-voz.

A China espera que todas as partes envolvidas no assunto aliviem a tensão o mais rápido possível, disse Geng.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas