Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

China testa com êxito míssil aerobalístico

A força de mísseis do Exército de Libertação do Povo da China realizou secretamente uma série de testes aéreos de um míssil balístico, análogo da arma hipersônica russa Kinzhal, informou a edição The Diplomat, com referência a uma fonte no governo norte-americano.


Sputnik

Os primeiros testes do míssil balístico, denominado CH-AS-X-13 pela inteligência norte-americana, foram realizados no fim do 2016, enquanto os últimos tiveram lugar no início de 2018.


Lançamento de míssil na China (arquivo)
Lançamento de míssil chinês © AP Photo / Wu Dengfeng

Durante os dois últimos testes, o míssil foi lançado de uma cópia licenciada do bombardeiro estratégico soviético Tu-16, com tecnologia de reabastecimento em voo.

Uma vez que o avião tem um raio de alcance de cerca de 6.000 quilômetros e o CH-AS-X-13 (um projétil de duas etapas, que funciona a combustível sólido) possui um alcance de até 3.000 quilômetros, há a possibilidade de o míssil poder atingir os EUA.

Segundo a fonte, Washington prevê que o novo míssil chinês estará pronto para deslocamento até 2025.

The Diplomat sublinhou que hoje em dia, além da China, os mísseis balísticos lançados a partir de aeronaves foram desenvolvidos na Rússia. Trata-se do míssil hipersônico Kinzhal que tem uma velocidade de cerca de 10 Mach (12.000 km/h), pode iludir todos os sistemas de defesa antiaérea existentes e pode transportar ogivas nucleares ou não nucleares a distâncias de até 2.000 quilômetros.

Anteriormente, o vice-ministro da Defesa russo, Yuri Borisov, declarou que os mísseis hipersônicos do sistema Kinzhal que atualmente equipam os inovadores caças interceptores, são capazes de eliminar porta-aviões, destróieres e cruzadores.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas