Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Comando Estratégico dos EUA: Rússia e China estão testando mísseis hipersônicos

Rússia e China estão usando mísseis hipersônicos, disse o general comandante do Comando Estratégico dos EUA, John Hyten, aos repórteres nesta terça-feira.


Sputnik

"Observamos a Rússia e a China operando mísseis hipersônicos", disse Hyten, acrescentando a realização desses testes é uma novidade para os norte-americanos.


Rússia celebra o Dia da Força Estratégica de Mísseis
Lançamento de míssil russo © Sputnik

Os Estados Unidos, sem dúvida, terão que implantar sistemas defensivos no espaço para neutralizar os sistemas ofensivos implantados por seus adversários, disse o comandante geral do Comando Estratégico dos EUA.

"Não tenho dúvidas de que teremos de implantar sistemas defensivos no espaço, porque nossos adversários estão construindo sistemas ofensivos e vamos ter que nos defender", disse Hyten.

Além disso, Hyten acrescentou que os EUA "terão de tomar uma decisão sobre o que fazer para desafiar as capacidades espaciais de terceiros".

O comandante afirmou que Washington e Moscou precisam ampliar o diálogo, inclusive em nível estratégico, e entre as suas Forças Armadas.

"Eu sempre defendo a ampliação do diálogo com os nossos potenciais adversários. Gostaria de contar com um diálogo mais estratégico com a Rússia e a China", disse o militar.

O general acrescentou que continua "incentivando o Departamento de Estado [dos EUA] a dialogar", ao mesmo tempo em que defende que "a administração e as Forças Armadas mantenham conversações entre as suas lideranças, inclusive comigo", concluiu.

Comentários

Postagens mais visitadas