Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Coreia do Norte diz que está preparada para discutir desnuclearização com EUA

Segundo alto funcionário americano, que falou sob condição de anonimato, agentes dos dois países estão mantendo contatos secretos antes de encontro entre Trump e Kim Jong-un


Por G1


A Coreia do Norte disse pela primeira vez que está preparada para discutir a desnuclearização da península coreana quando seu líder Kim Jong-un se encontrar com o presidente dos EUA, Donald Trump, disse um alto funcionário americano neste domingo (8).

Kim Jong-Un inspeciona suposta bomba de hidrogênio para míssil, em setembro de 2017 (Foto: KCNA via Reuters)
Kim Jong-Un inspeciona suposta bomba de hidrogênio para míssil, em setembro de 2017 (Foto: KCNA via Reuters)

Agentes dos dois países têm mantido contatos secretos recentemente nos quais Pyongyang enviou diretamente a mensagem de sua disposição de manter o encontro, segundo o funcionário disse à agência Reuters sob condição de anonimato.

Até o momento, Washington tem confiado nas garantias da Coreia do Sul sobre as intenções do líder norte-coreano.

No dia 8 de março, Kim surpreendeu ao convidar Trump para um encontro, no qual o principal assunto deve ser seu programa nuclear. O convite, feito em uma carta escrita pelo norte-coreano, foi entregue em mãos na Casa Branca por Chung Eui-Yong, conselheiro de Segurança Nacional da Coreia do Sul.

O encontro entre os Donald Trump e Kim Jong-un deve acontecer até o final de maio, mas ainda não foram anunciados data e local.

Antes, Trump deve receber o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, para coordenar estratégias de aliados para a reunião, enquanto Kim concordou em se reunir com o presidente sul-coreano Moon Jae-in no final de abril, na zona desmilitarizada entre as duas Coreias.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas