Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Coreia do Norte diz que está preparada para discutir desnuclearização com EUA

Segundo alto funcionário americano, que falou sob condição de anonimato, agentes dos dois países estão mantendo contatos secretos antes de encontro entre Trump e Kim Jong-un


Por G1


A Coreia do Norte disse pela primeira vez que está preparada para discutir a desnuclearização da península coreana quando seu líder Kim Jong-un se encontrar com o presidente dos EUA, Donald Trump, disse um alto funcionário americano neste domingo (8).

Kim Jong-Un inspeciona suposta bomba de hidrogênio para míssil, em setembro de 2017 (Foto: KCNA via Reuters)
Kim Jong-Un inspeciona suposta bomba de hidrogênio para míssil, em setembro de 2017 (Foto: KCNA via Reuters)

Agentes dos dois países têm mantido contatos secretos recentemente nos quais Pyongyang enviou diretamente a mensagem de sua disposição de manter o encontro, segundo o funcionário disse à agência Reuters sob condição de anonimato.

Até o momento, Washington tem confiado nas garantias da Coreia do Sul sobre as intenções do líder norte-coreano.

No dia 8 de março, Kim surpreendeu ao convidar Trump para um encontro, no qual o principal assunto deve ser seu programa nuclear. O convite, feito em uma carta escrita pelo norte-coreano, foi entregue em mãos na Casa Branca por Chung Eui-Yong, conselheiro de Segurança Nacional da Coreia do Sul.

O encontro entre os Donald Trump e Kim Jong-un deve acontecer até o final de maio, mas ainda não foram anunciados data e local.

Antes, Trump deve receber o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, para coordenar estratégias de aliados para a reunião, enquanto Kim concordou em se reunir com o presidente sul-coreano Moon Jae-in no final de abril, na zona desmilitarizada entre as duas Coreias.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas