Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Coreia do Sul e EUA iniciam exercícios conjuntos em período de degelo com Pyongyang

Manobras, que Coreia do Norte considera treinamento de invasão a seu território, devem durar menos que o habitual.


France Presse


Coreia do Sul e Estados Unidos iniciaram neste domingo (1º) os exercícios militares conjuntos anuais, de forma mais discreta que o habitual, em um momento de reconstrução do diálogo com a Coreia do Norte.

Aviões da Força Aérea dos EUA voam em formação durante um exercício aéreo conjunto entre os EUA e a Coreia do Sul em 2017 (Foto:  The Defense Ministry/Yonhap via Reuters)
Aviões da Força Aérea dos EUA voam em formação durante um exercício aéreo conjunto entre os EUA e a Coreia do Sul em 2017 (Foto: The Defense Ministry/Yonhap via Reuters)

E em uma tentativa de não prejudicar o aparente melhor momento das relações diplomáticas com a Coreia do Norte, Seul e Washington decidiram realizar as manobras durante um mês, metade do tempo habitual.

Os Exércitos sul-coreano e americano também optaram por não utilizar determinadas armas estratégicas, de acordo com Seul.

Os Jogos Olímpicos de Inverno celebrados na cidade sul-coreana de Pyeongchang em fevereiro terminaram com uma aproximação entre as duas Coreias: os governantes dos dois países se reunirão no fim de abril, antes de um esperado encontro entre o presidente americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong Un.

Os exercícios, batizados de Key Resolve e Foal Eagle, que acontecem a cada ano na mesma data, foram adiados para não coincidir com os Jogos de Pyeongchang.

Tensão habitual

Os exercícios sempre aumentam a tensão na península coreana, já que o regime de Pyongyang, que tem armamento nuclear, considera as manobras um treinamento geral para uma invasão de seu território.

Mas um alto funcionário do governo sul-coreano que viajou a Pyongyang no início de março afirmou que Kim Jong-un "entende" a decisão adotada por Estados Unidos e Coreia do Sul de prosseguir com as manobras militares.

O Foal Eagle é um exercício que reúne 11,5 mil soldados americanos e 290 mil militares sul-coreanos, enquanto o Key Resolve é um exercício de comando baseado em simulações por computador.

As manobras começam no mesmo dia em que estrelas sul-coreanas do K-pop farão um show histórico em Pyongyang.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas