Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Coreia do Sul e EUA retomarão busca de militares desaparecidos

Comandos militares da República Popular Democrática da Coreia (RPDC) e dos EUA acordaram hoje a retomada da busca dos soldados considerados desaparecidos nesta região durante o período de guerra 1950-1953.
Por Benito Joaquín | Prensa Latina
Panmunjom, RPDC - O ato ficou pactuado durante os diálogos com os quais se retomaram os encontros de alto nível entre chefes militares de Pyongyang e Washington, suspensos há anos, soube a Prensa Latina.
Durante o primeiro triênio da segunda metade do século passado morreram mais de 33 mil soldados e oficiais estadunidenses, segundo cifras oficiais.

Os restos mortais de cerca de 16 por cento desse total de militares mortos não foram encontrados nas buscas realizadas na RPDC entre 1996 e 2005 ou anteriormente.

Os especialistas forenses só detectaram nos antigos palcos de guerra ao norte daqui, os restos de aproximadamente 220 militares norte-americanos.

Em Washington, o secretário de Estado, Mike Pompeo, assegurou que 16 por cento dos corpos dos que morre…

Deputado russo: Rússia deve vender sistemas S-300 para Síria, Irã e Coreia do Norte

Aleksandr Sherin, vice-presidente do Comitê de Defesa da Duma, câmara baixa do parlamento russo, disse em entrevista à Sputnik neste sábado que Moscou deveria vender sistemas de defesa antiaérea para Síria, Irã e Coreia do Norte, oferecendo simultaneamente treinamento especializado às forças desses países.


Sputnik

Mais cedo, o chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, Sergei Rudskoi, afirmou que os sistemas de defesa russos acompanharam e controlaram todos os lançamentos de mísseis, tanto de portadores navais como aéreos das forças ocidentais que atacaram nesta madrugada o território sírio. De acordo com ele, a Rússia poderia fornecer sistemas S-300 a Damasco como forma de proteção contra novos ataques. 


Sistemas de mísseis antiaéreos S-300, da Rússia
Sistema antiaéreo russo S-300 © Sputnik / Ramil Sitdikov

"É necessário considerar não apenas as entregas de sistemas de defesa de mísseis, mas também o fornecimento acompanhado de pessoas que possam treinar o pessoal desses países, de forma que Síria, Irã e Coreia do Norte possam empregar esses sistemas se quiserem", declarou Sherin. "Esses sistemas deveriam ter sido fornecidos há muito tempo. Se não quisermos que nossos soldados e oficiais morram, se não quisermos, digamos, algumas guerras em grande escala com a perda de civis, tudo é muito simples: o sistema S-300 ", acrescentou o vice-presidente do Comitê de Defesa da Duma.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas