Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Donetsk acusa Kiev de violar trégua mais de 20 vezes em um dia

Representantes da autoproclamada República Popular de Donetsk comunicaram ao Centro Conjunto para Controle e Coordenação da trégua em Donbass que as forças ucranianas violaram o regime de cessar-fogo estabelecido na região mais de 20 vezes no último dia.


Sputnik

A atual trégua que vigora no leste da Ucrânia teve início no dia 30 de março, tendo como razão principal as comemorações da Páscoa ortodoxa. No entanto, ambas as partes em conflito seguem acusando a outra de violar o regime. 


Donetsk, foto de arquivo
Donetsk © Sputnik / Yevgeny Biyatov

"Durante as últimas 24 horas, o número total de infrações por parte das Forças Armadas da Ucrânia foi de 22 violações", afirmaram as autoridades de Donetsk, acusando as tropas de Kiev de terem lançado 80 tiros de morteiro de 120 e 82 milímetros, usado granados, veículos blindados e outros tipos de artilharia.

Desde abril de 2014, a Ucrânia é palco de um intenso conflito entre o Exército e rebeldes independentistas da região de Donbass, que não reconheceram a legitimidade do governo instalado no país após o golpe de Estado que provocou a queda do presidente eleito Viktor Yanukovich.

Postar um comentário