Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial do Hezbollah: nossos mísseis podem atingir qualquer ponto de Israel

O Hezbollah é capaz de atingir qualquer ponto em Israel com seus mísseis, disse Sheikh Naim Qassem, secretário-geral adjunto do movimento libanês Hezbollah em entrevista ao jornal iraniano al-Vefagh.
Sputnik

"Não há um único ponto nos territórios ocupados fora do alcance dos mísseis do Hezbollah", disse Qassem.


Segundo o alto funcionário, os mísseis servem para impedir Israel de iniciar outra guerra com o Líbano, expondo a "frente israelense".

Qassem comentou também a guerra na Síria, onde o Hezbollah desempenhou um papel ativo na assistência ao governo sírio contra vários agrupamentos terroristas, incluindo o Daesh e Frente al-Nusra (grupos terroristas proibidos na Rússia). O funcionário elogiou as vitórias alcançadas contra os terroristas, mas criticou os EUA por sua suposta obstrução ao processo de paz.

As tensões entre Tel Aviv e o movimento libanês xiita Hezbollah aumentaram em 4 de dezembro depois que as tropas israelenses lançaram a operação Northern Shield, dest…

Embaixador russo na ONU alerta os EUA sobre consequências de ataque contra Síria

A reação dos Estados Unidos ao suposto incidente químico na cidade síria de Douma mostrou claramente que era o pretexto há muito buscado para atacar a Síria, o que foi finalmente fornecido pelos provocadores dos Capacetes Brancos, disse o enviado russo na ONU.


Sputnik

O suposto incidente químico em Douma só foi benéfico para os militantes, disse o representante permanente da Rússia na ONU, Vassily Nebenzia, instando seus colegas ocidentais a explicar por que Damasco decidiria fazê-lo. O suposto ataque foi relatado no sábado, em meio à evacuação de militantes da cidade sitiada.


Nesta imagem fornecida pela Marinha dos Estados Unidos, o destrutor de mísseis guiados USS Porter (DDG 78) lança um míssil de ataque de terra tomahawk no Mar Mediterrâneo, sexta-feira, 7 de abril de 2017.
Míssil Tomahawk lançado do USS Porter © AP Photo/ Ford Williams/U.S. Nav

"Essa provocação foi como uma brisa do ar fresco necessário para os militantes que receberam apoio tão oportuno dos EUA e de outros países ocidentais", disse Nebenzia na reunião do Conselho de Segurança da ONU nesta terça-feira. Ele alertou os EUA e seus aliados contra o lançamento de uma ação militar na Síria, contornando a ONU.

"Se você tomou a decisão de realizar um esforço militar ilegal, esperamos que retome o seu bom senso. Vocês serão responsáveis por si mesmos", afirmou Nebenzia.

A alegação de um ataque químico, impulsionado pelas fontes pró-militantes, tem sido entusiasticamente apoiada pelos EUA e outros países ocidentais, que culpam diretamente o incidente não verificado em Damasco.

Especialistas militares russos, entretanto, visitaram o local do suposto incidente, que foi entregue pelos militantes, e não encontraram sinais de um ataque químico ou de qualquer vítima dele.

Nebenzia pediu apoio à investigação internacional da agência de vigilância química na Síria antes de tirar conclusões precipitadas. No entanto, ele acredita que aqueles que buscam derrubar o governo legítimo do presidente sírio, Bashar Assad, não esperariam pelos resultados da investigação, alegando que, ao contrário, estão buscando um ataque.

"Você não quer ouvir que nenhum sinal de ataque químico foi encontrado em Douma. Você só procurou um pretexto e foi ansiosamente fornecido pelos provocadores dos Capacetes Brancos", completou Nebenzia.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas