Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Quem vai receber 'resposta esmagadora' do Irã pelo atentado em Ahvaz?

No sábado (22), militantes armados abriram fogo contra uma parada militar na cidade de Ahvaz, matando 29 pessoas e ferindo outras 60. O Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, que perdeu 12 de seus militares no atentado, prometeu que o Irã daria uma "resposta esmagadora" aos envolvidos no ataque. Mas de quem Teerã irá se vingar?
Sputnik

A responsabilidade pelo atentado foi assumida pelo Movimento Democrático Patriótico Árabe de Ahvaz (Al-Ahvazia), ligado à Arábia Saudita.

O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, comentando a tragédia, afirmou que os atacantes receberam dinheiro da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos e que tinham sido apoiados pelos EUA.

Ex-chefe do Conselho de Cultura da administração presidencial iraniana, doutor Abbas Amirifar, acredita que por trás do ataque em Ahvaz estão países do Ocidente que "têm uma atitude hostil perante o Irã".

"Vale destacar que os terroristas que disseram estar envolvidos no atentado instalaram-se no Oc…

Embaixador russo solicita reunião com Boris Johnson sobre caso Skripal

O embaixador da Rússia em Londres, Aleksandr Yakovenko, solicitou neste sábado uma reunião com o ministro de Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, para abordar o caso Skripal, que provocou uma grave crise nas relações entre ambos os governos.


EFE

Moscou - "Já chegou a hora de um encontro entre Yakovenko e o ministro de Exteriores do Reino Unido para abordar todos os âmbitos das relações bilaterais e também a investigação do incidente em Salisbury", informou o porta-voz da delegação russa na capital britânica.


Boris Johnson em foto de 19 de março. EFE/ Olivier Hoslet
Boris Johnson em foto de 19 de março. EFE/ Olivier Hoslet

A fonte explicou que Yakovenko tinha enviado a Johnson uma "nota pessoal" e acrescentou que a Rússia espera "uma resposta construtiva da parte britânica" e que a reunião aconteça "em breve" para abordar o envenenamento em Salisbury do ex-espião russo Sergei Skripal e de sua filha com um agente químico, do qual Londres acusa Moscou.

"Infelizmente, o atual estado da interação entre a embaixada e o Ministério de Relações Exteriores britânico é extremamente insatisfatório", analisou.

A embaixada russa considerou "lamentável" a decisão das autoridades britânicas de negar o visto à sobrinha do ex-espião, Victoria, que tinha expressado o desejo de visitar os parentes hospitalizados no Reino Unido.

"Segundo uma fonte governamental citada pela 'BBC', o visto foi rejeitado porque 'a Rússia parece querer utilizar Victoria como um peão'. Isso significa que a decisão está motivada politicamente", afirmou o porta-voz.

Moscou considera que "a obstinação em se negar a cooperar, garantir a transparência e responder a inúmeras perguntas significa que os britânicos têm algo a esconder".

Segundo informaram fontes dos serviços de saúde na sexta-feira, Skripal, de 66 anos, saiu do estado crítico, responde bem ao tratamento e a sua saúde melhora rapidamente. Yulia, de 33 anos, que tinha chegado ao Reino Unido procedente da Rússia um dia antes do envenenamento para visitar o pai, se mantém estável há uma semana e recuperou a fala.

Sergei Skripal e sua filha foram envenenados no dia 4 de março em Salisbury após serem expostos a uma substância química chamada "Novichok", que, segundo Londres, foi fabricada na Rússia.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas