Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

EUA anunciam criação de arma de 'energia dirigida'

O progresso no uso da tecnologia de "energia dirigida" na área de defesa atingiu seu "ponto de ruptura", comunicou ao portal Space News o chefe do Centro para Tecnologias Promissoras da empresa Lockheed Martin, Nelson Pedreiro.


Sputnik

De acordo com ele, a empresa já havia criado um protótipo de arma a laser capaz de defender bases militares de ataques com drones.


Resultado de imagem para ATHENA lockheed martin
Lockheed Martin ATHENA laser


Pedreiro afirmou também que no ano passado a Lockheed Martin demonstrou o funcionamento do sistema ATHENA, de 30 quilowatts, em uma base do exército norte-americano situada no estado de Novo México.

"O sistema atingiu alvos aéreos em pleno voo causando danos estruturais e provocando a perda de controle sobre eles. Os lasers também estão sendo desenvolvidos para a Agência de Defesa de Mísseis como armas antimíssil capazes de abater mísseis balísticos inimigos durante a decolagem", acrescentou o engenheiro.

Anteriormente, o Pentágono fechou o contrato para a criação de um protótipo de míssil de cruzeiro hipersônico. De acordo com a mídia, o Departamento de Defesa norte-americano planeja destinar cerca de US$ 928 milhões (R$ 3,1 bilhões) para o desenvolvimento do míssil para os aviões da Força Aérea dos EUA.

Comentários

Postagens mais visitadas