Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

EUA irão expandir combate contra Daesh na Síria

O chefe do Pentágono, James Mattis, informou nesta quinta-feira (26) que os EUA irão expandir o combate contra o grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico) na Síria com a ajuda de outros países regionais.


Sputnik

"No momento, nós vamos retirar as tropas", disse Mattis, ao discursar diante do comitê do Senado para assuntos militares.


Forças dos EUA patrulhando nos arredores da cidade síria de Manbij, província de Aleppo (foto de arquivo)
Tropas dos EUA na Síria © AP Photo / Arab 24 network

De acordo com ele, os terroristas do Daesh estão reforçando as suas operações.

"Nós continuamos o combate, nós iremos ampliá-lo, atraindo mais apoio regional. Esta é a maior mudança que estamos fazendo agora ", disse o chefe do Pentágono.

Em meio a declarações de Trump sobre a retirada dos militares dos EUA, o secretário de Defesa James Mattis já havia esboçado a possibilidade de grupos terroristas se reagruparem em posições remotas na Síria, dizendo ao presidente dos EUA que a retirada reverteria o progresso alcançado até agora.

Em 3 de março, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou seus planos de retirar as tropas do país da Síria em um futuro próximo, o que gerou uma controvérsia com as posições do presidente da coalizão liderada pelos EUA, Brett McGurk, bem como do novo secretário de Estado, Mike Pompeo, e o chefe do Estado-Maior Conjunto Joseph Dunford, entre outros funcionários de alto escalão do país.

Comentários

Postagens mais visitadas