Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

EUA obrigam países não nuclearizados da OTAN a ensaiar ataques nucleares contra a Rússia

"A Rússia não ameaça ninguém. A manutenção dos arsenais é um processo comum em todos os países. Fomos forçados a responder à escalação da situação corrente mundo", disse o diretor do departamento de não proliferação e controle de armas do ministério das Relações Exteriores da Rússia, Vladimir Yermakov.


Sputnik

O diplomata destacou que as recentes medidas dos Estados Unidos ameaçam especialmente a integridade do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP).


Um míssil nuclear ICBM Titan II desativado é visto em um silo no Missile Museum Titan. 12 de maio, 2015, Green Valley, Arizona.
Míssil nuclear dos EUA ICBM Titan II © AFP 2018 / BRENDAN SMIALOWSKI

"O que realmente ameaça o TNP e muitos outros acordos é uma relutância resistente dos EUA no que diz respeito ao cumprimento do disposto nos artigos 1 e 2 (TNP) e à continuação da chamada 'partilha nuclear', que em essência força os países não-nuclearizados da OTAN a participar de ataques nucleares contra a Rússia ", disse o alto funcionário de Moscou.

A declaração russa foi uma resposta ao secretário de Estado para segurança internacional e não-proliferação dos EUA, Christopher Ford, que declarou: "a modernização dos arsenais da Rússia representa uma ameaça aos seus vizinhos e viola as obrigações do país em relação ao controle de armas".

Comentários

Postagens mais visitadas