Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia acionará judicialmente os EUA, caso entregas dos F-35 sejam bloqueadas

Segundo o porta-voz do presidente turco, Ibrahim Kalin, a Turquia recorrerá a medidas jurídicas caso as entregas dos F-35 sejam bloqueadas pelos EUA.
Sputnik

Ibrahim Kalin citou para a mídia turca que "não é nada fácil rescindir este contrato, somos parte de um contrato multilateral, cumprimos com todas as exigências e pagamos, caso os EUA não cumpram, recorreremos à lei".

O Congresso americano decidiu recentemente suspender as entregas dos caças americanos de quinta geração F-35 à Turquia devido aos planos de Ancara de adquirir o sistema de defesa antiaérea russo S-400, além de ameaçá-la com sanções em diversas ocasiões, como citado em artigo da Sputnik Mundo.

O avançado sistema antiaéreo S-400 Triumph (SA-21 Growler, na classificação da OTAN) é capaz de abater alvos aéreos com tecnologia furtiva, mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos táticos e táticos-operacionais, tem um alcance de até 400 km e pertence à geração 4+, sendo duas vezes mais eficaz que seus antecessores.

Os se…

EUA obrigam países não nuclearizados da OTAN a ensaiar ataques nucleares contra a Rússia

"A Rússia não ameaça ninguém. A manutenção dos arsenais é um processo comum em todos os países. Fomos forçados a responder à escalação da situação corrente mundo", disse o diretor do departamento de não proliferação e controle de armas do ministério das Relações Exteriores da Rússia, Vladimir Yermakov.


Sputnik

O diplomata destacou que as recentes medidas dos Estados Unidos ameaçam especialmente a integridade do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP).


Um míssil nuclear ICBM Titan II desativado é visto em um silo no Missile Museum Titan. 12 de maio, 2015, Green Valley, Arizona.
Míssil nuclear dos EUA ICBM Titan II © AFP 2018 / BRENDAN SMIALOWSKI

"O que realmente ameaça o TNP e muitos outros acordos é uma relutância resistente dos EUA no que diz respeito ao cumprimento do disposto nos artigos 1 e 2 (TNP) e à continuação da chamada 'partilha nuclear', que em essência força os países não-nuclearizados da OTAN a participar de ataques nucleares contra a Rússia ", disse o alto funcionário de Moscou.

A declaração russa foi uma resposta ao secretário de Estado para segurança internacional e não-proliferação dos EUA, Christopher Ford, que declarou: "a modernização dos arsenais da Rússia representa uma ameaça aos seus vizinhos e viola as obrigações do país em relação ao controle de armas".

Postar um comentário

Postagens mais visitadas