Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

EUA pretendem aumentar sua presença militar perto das fronteiras russas

O chefe do Pentágono, James Mattis, declarou que as autoridades norte-americanas estão dispostas a negociar o aumento de sua presença militar, bem como o número de militares, no território da Polônia, segundo o seu discurso publicado no website do Departamento da Defesa dos EUA.


Sputnik

"A Polônia é nosso aliado na OTAN […] Portanto, estamos sempre abertos para tais discussões", observou ele antes de se reunir com o ministro da Defesa da Polônia, Mariusz Blaszczak.


Sistema de mísseis Patriot
Sistema de mísseis antiaéreos norte-americano Patriot © AFP 2018 / KIM JAE-HWAN

Além disso, Mattis acrescentou que a decisão para implantação de tropas é determinada de acordo com as necessidades de segurança.

Varsóvia, nos últimos anos, tem repetidamente manifestado sua esperança no aumento da presença norte-americana no país.

Foi divulgado, no final de março, que a Polônia assinou um contrato de compra de sistemas de defesa antiaérea Patriot.

Espera-se que os primeiros sistemas Patriot cheguem à Polônia em 2022. O lote terá 16 lançadores de mísseis, 4 estações de radar e 208 mísseis. Os representantes das autoridades polacas têm afirmado sistematicamente que os novos sistemas de defesa antiaérea serão posicionados próximo às fronteiras com a Rússia.

Patriot é um sistema de mísseis antiaéreos do exército dos EUA e países aliados.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas