Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

EUA se recusam a confirmar se possuem amostras que comprovam ataque químico em Douma

O Departamento de Estado dos EUA se recusou a afirmar se tem ou não amostras de Douma que comprovam o suposto ataque químico contra civis.


Sputnik

"Não posso comentar sobre isso", disse a jornalistas a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, quando perguntada se os EUA têm amostras ou evidências mostrando que armas químicas foram usadas.


A porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, fala durante um briefing no Departamento de Estado em Washington
Porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert © AP Photo / Alex Brandon

Os EUA acreditam que sarin foi usado junto com gás cloro no recente ataque à cidade de Douma, nos arredores de Damasco, disse Nauert no briefing.

"Temos informações que nos levam a acreditar que tanto o cloro quanto o sarin foram usados ​​no ataque", disse Nauert.

Fontes do Departamento de Estado dos EUA disseram que a equipe de inspeção da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) ainda não conseguiu entrar na cidade da Douma, na Síria, para conduzir uma investigação independente.

"Nossas fontes, que [nós] consideramos confiáveis, indicam que a equipe ainda não conseguiu entrar na Douma", afirmou Nauert. "Esse é o nosso entendimento da situação a partir de agora."

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, disse que a alegação de que a Rússia supostamente "bloqueou" a entrada da OPAQ em Douma é inescrupulosa.

Nauert também disse que as sanções contra Moscou "não estão descartadas, nós simplesmente não temos nada para anunciar neste momento". No domingo, a embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, disse que as sanções eram iminentes, mas a Casa Branca e o Departamento do Tesouro, em última análise, não seguiram adiante.

Postar um comentário