Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Exército alemão vai investir milhões em armas e equipamentos, dizem jornais

O Exército alemão está planejando gastar milhões em novos lançadores de foguetes, drones, helicópteros e aviões de carga para preencher lacunas em seu arsenal, enquanto os Estados Unidos pressionam Berlim para fazer mais pela defesa do país e da Europa.


Sputnik

O Ministério da Defesa da Alemanha planeja comprar 18 itens, cada um custando mais de 25 milhões de euros (US$ 30 milhões), segundo os jornais Handelsblatt e Bild. A lista é, no entanto, "preliminar" e pode ser alterada, dependendo do orçamento para 2018. Ela inclui vários sistemas de foguetes de lançamento múltiplo MARS, sete helicópteros de resgate e seis aviões de carga C-130J Hercules fabricados nos EUA, informou o Bild.


Tanque Leopard 2 durante demonstração na Alemanha (foto de arquivo)
Tanque alemão Leopard II © AP Photo / Michael Sohn

De armadura pesada à parte, um contrato de leasing para drones de reconhecimento Heron TP, construídos por Israel, também está na lista de desejos da Bundeswehr (Forças Armadas alemãs), assim como atualizações para veículos blindados Puma e um contrato de manutenção para helicópteros NH90.

O Exército alemão também investirá no desenvolvimento de um novo radar para o jato Eurofighter Typhoon, equipamento de telecomunicações para navios de guerra da Marinha, assim como novos uniformes e equipamentos de proteção, segundo o jornal Die Zeit.

As melhorias foram consideradas depois que o Ministério da Defesa da Alemanha recebeu críticas pesadas sobre seus equipamentos e capacidade operacional "dramaticamente ruins". Após o fim da Guerra Fria, a Alemanha cortou radicalmente seu orçamento militar. Empurrada pelo presidente dos EUA, Donald Trump, que criticou Berlim por "pagar muito menos do que deveria" por questões militares e da OTAN, a Alemanha reconsiderou seu investimento em armamentos.

A promessa da chanceler Angela Merkel de aumentar o orçamento militar da Alemanha seguiu os apelos de Trump para que os membros da OTAN cumpram a meta de gastos com defesa de 2% do PIB.

Membros do Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) enviaram "um claro não" aos apelos de Trump para injetar bilhões em programas de armamentos maciços e denunciaram Merkel por ceder ao presidente dos Estados Unidos.

Em 2017, o então ministro de Relações Exteriores, Sigmar Gabriel, advertiu Merkel a não se "ajoelhar" diante de Trump em tentativas de "apaziguá-lo". O principal diplomata pediu à chanceler para suportar as demandas para reforçar o orçamento militar. Ele defendeu que o papel do país deve ser "o poder da paz e não uma máquina de armas". Merkel e seu partido no poder "querem seguir o ditame de Trump e dobrar os gastos militares da Alemanha", argumentou o hoje ex-ministro.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas