Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Irã condena veementemente a invasão dos sionistas contra a Síria

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Bahram Qasemi, condenou veementemente a invasão de combatentes do regime sionista contra a Síria e chamou-a de uma clara violação do direito internacional e na direção do fortalecimento do terrorismo.


Pars Today

De acordo com um relatório do Departamento de Mídia do Ministério das Relações Exteriores, Qasemi condenou na segunda-feira o ataque aéreo do regime sionista contra a Base Aérea "T-4" em Homs, na Síria.


Irã condena veementemente a invasão dos sionistas contra a Síria
Bahram Qasemi | Reprodução

Ele disse que a invasão do regime sionista contra a Síria é violação da soberania nacional e integridade territorial deste país e contrária a todas as leis e regulamentos internacionais.

Qasemi disse, sem dúvida, que essa ação do regime sionista, quando os desenvolvimentos de campo são benéficos para o governo legal sírio, é fortalecer grupos terroristas com o objetivo de desviar a opinião pública da catástrofe de Gaza e de dezenas de mártires e milhares de feridos.

O porta-voz ressaltou novamente o total apoio do Irã à integridade territorial e à soberania nacional da Síria, e pediu a todos os países e comunidade internacional que evitem ser indiferentes a uma invasão tão clara contra um membro da ONU.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas