Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Irã enfatiza diálogo regional para a paz sustentável

O Irã sempre ofereceu um diálogo regional para enfrentar os desafios antes de sustentar a paz, de acordo com o ministro das Relações Exteriores do Irã na reunião da ONU sobre a construção da paz e a manutenção da paz.


Pars Today

Em seu discurso na reunião da ONU, Zarif deu as boas-vindas ao tema da reunião, já que o Oriente Médio foi atingido por conflitos mais do que quaisquer outras regiões.


Irã enfatiza diálogo regional para a paz sustentável
Ministro das Relações Exteriores do Irã Mohammad Javad Zarif | Reprodução

Ele enfatizou que a prevenção da guerra requer foco nas causas e origens, incluindo fatores como ocupação, intervenção estrangeira e extremismo.

O ministro das Relações Exteriores iraniano disse que as potências hegemônicas e suas tentativas de obter segurança às custas de outros por meio do monopólio e da criação de blocos regionais intensificam os conflitos e geram corridas armadas.

Ele enfatizou a necessidade de criar uma região poderosa em vez de tentar ser o poder superior na região, instando os países a criar redes de segurança em vez de criar blocos de segurança para alcançar segurança coletiva para todos.

Zarif também destacou que a República Islâmica do Irã nunca busca um jogo de soma zero e se opõe à hegemonia monopolista na região.

O chanceler iraniano pediu aos países da região que mudem suas políticas com base no respeito mútuo e princípios compartilhados, dizendo que a República Islâmica do Irã busca um fórum regional para o diálogo na região do Golfo Pérsico para enfrentar os desafios da paz na região.

Ele também pediu às Nações Unidas para ajudar nesse sentido.

Postar um comentário