Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diretor de Projetos da Marinha do Brasil diz que Programa Tamandaré não será afetado por cortes no orçamento

Convidado para falar a empresários catarinenses durante a reunião do Comitê da Indústria da Defesa (Comdefesa), da Fiesc, o vice-almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, diretor de Projetos da Marinha do Brasil, garantiu na manhã desta quinta-feira que o bloqueio de verbas do governo federal não vai afetar o andamento do projeto de construção de quatro navios da Marinha em Itajaí.
Poder Naval

Ele confirmou que o recurso previsto para a empreitada, de R$ 2,5 bilhões, está contingenciado – mas acredita que isso será revertido no segundo semestre. – Esse projeto não tem volta. O Brasil e a Marinha precisam modernizar a frota – afirmou.

A Marinha foi a principal atingida pelo bloqueio de verbas no setor de Defesa, que soma R$ 13 bilhões. O recurso para as corvetas está com a Emgepron, empresa de projetos da Marinha que negocia os termos do contrato com o consórcio Águas Azuis, vencedor da concorrência pública para construção das embarcações.

O grupo tem entre as consorciadas a alemã Thys…

Irã enfatiza diálogo regional para a paz sustentável

O Irã sempre ofereceu um diálogo regional para enfrentar os desafios antes de sustentar a paz, de acordo com o ministro das Relações Exteriores do Irã na reunião da ONU sobre a construção da paz e a manutenção da paz.


Pars Today

Em seu discurso na reunião da ONU, Zarif deu as boas-vindas ao tema da reunião, já que o Oriente Médio foi atingido por conflitos mais do que quaisquer outras regiões.


Irã enfatiza diálogo regional para a paz sustentável
Ministro das Relações Exteriores do Irã Mohammad Javad Zarif | Reprodução

Ele enfatizou que a prevenção da guerra requer foco nas causas e origens, incluindo fatores como ocupação, intervenção estrangeira e extremismo.

O ministro das Relações Exteriores iraniano disse que as potências hegemônicas e suas tentativas de obter segurança às custas de outros por meio do monopólio e da criação de blocos regionais intensificam os conflitos e geram corridas armadas.

Ele enfatizou a necessidade de criar uma região poderosa em vez de tentar ser o poder superior na região, instando os países a criar redes de segurança em vez de criar blocos de segurança para alcançar segurança coletiva para todos.

Zarif também destacou que a República Islâmica do Irã nunca busca um jogo de soma zero e se opõe à hegemonia monopolista na região.

O chanceler iraniano pediu aos países da região que mudem suas políticas com base no respeito mútuo e princípios compartilhados, dizendo que a República Islâmica do Irã busca um fórum regional para o diálogo na região do Golfo Pérsico para enfrentar os desafios da paz na região.

Ele também pediu às Nações Unidas para ajudar nesse sentido.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas