Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Israel continua atacando posições sírias nas Colinas de Golã

Israel realizou disparos nesta segunda-feira contra posição de artilharia síria, depois que um projétil de morteiro atingiu as proximidades da fronteira israelense nas colinas de Golan, segundo o Jerusalém.


Sputnik

"Um projétil disparado por morteiro atingiu o terreno próximo à cerca de segurança no norte das Colinas de Golã", disse o representante do exército de Israel em um comunicado nesta segunda-feira.


Soldados de Israel nas Colinas de Golã, 6 de setembro de 2016
Militares israelenses em Golã © AFP 2018 / JALAA MAREY

"Em resposta, as Forças de Defesa de Israel (FDI) atacaram uma posição de artilharia na área de origem do disparo, no norte das colinas sírias de Golan".

O porta-voz do Exército israelense não especificou o tipo de armamento usado por Israel.

"FDI responsabiliza o regime sírio [pelo ataque] e não tolerará qualquer tentativa de violar a soberania israelense", afirmou o comunicado.

Israel ocupou 1,200 quilômetros quadrados das Colinas de Golã, na Síria, durante a Guerra dos Seis Dias em 1967, e anexou o território de modo oficial em 1981. A medida nunca foi reconhecida pela comunidade internacional.

Israel e a Síria, tecnicamente, ainda estão em guerra, embora a linha de armistício no Golan tenha permanecido em cessar-fogo por décadas, até a eclosão da guerra civil no país árabe, em 2011.

Desde então, as posições sírias tem sido submetidas aos bombardeios regulares por parte de Israel, que realizou dezenas de ataques aéreos contra as tropas de Damasco e seus aliados.

Segundo Israel, as atividades militares na fronteira com a Síria visam impedir as manobras de Hezbollah, grupo armado libanês.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas