Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Israel continua atacando posições sírias nas Colinas de Golã

Israel realizou disparos nesta segunda-feira contra posição de artilharia síria, depois que um projétil de morteiro atingiu as proximidades da fronteira israelense nas colinas de Golan, segundo o Jerusalém.


Sputnik

"Um projétil disparado por morteiro atingiu o terreno próximo à cerca de segurança no norte das Colinas de Golã", disse o representante do exército de Israel em um comunicado nesta segunda-feira.


Soldados de Israel nas Colinas de Golã, 6 de setembro de 2016
Militares israelenses em Golã © AFP 2018 / JALAA MAREY

"Em resposta, as Forças de Defesa de Israel (FDI) atacaram uma posição de artilharia na área de origem do disparo, no norte das colinas sírias de Golan".

O porta-voz do Exército israelense não especificou o tipo de armamento usado por Israel.

"FDI responsabiliza o regime sírio [pelo ataque] e não tolerará qualquer tentativa de violar a soberania israelense", afirmou o comunicado.

Israel ocupou 1,200 quilômetros quadrados das Colinas de Golã, na Síria, durante a Guerra dos Seis Dias em 1967, e anexou o território de modo oficial em 1981. A medida nunca foi reconhecida pela comunidade internacional.

Israel e a Síria, tecnicamente, ainda estão em guerra, embora a linha de armistício no Golan tenha permanecido em cessar-fogo por décadas, até a eclosão da guerra civil no país árabe, em 2011.

Desde então, as posições sírias tem sido submetidas aos bombardeios regulares por parte de Israel, que realizou dezenas de ataques aéreos contra as tropas de Damasco e seus aliados.

Segundo Israel, as atividades militares na fronteira com a Síria visam impedir as manobras de Hezbollah, grupo armado libanês.


Postar um comentário