Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Israel receia que Rússia forneça mísseis S-300 à Síria

Nos círculos políticos e militares israelenses teme-se que a Rússia possa vender sistemas de defesa antiaérea S-300 à Síria, algo que não aconteceu até agora.


Sputnik

A presença em grande escala desses mísseis na Síria limitaria as ações dos militares israelenses, que, nos últimos anos, têm realizado centenas de incursões naquele país sem correr praticamente nenhum risco.


S-300 durante um ensaio de treinamento
S-300 russo © Sputnik / Alexei Daniche

Até agora, a Rússia forneceu à Síria somente mísseis fabricados na época da União Soviética e não os mísseis mais modernos.

Atualmente, o sistema de defesa antiaéreo mais avançado que a Síria possui é o russo Pantsir- S1, que derrubou drones e mísseis disparados contra o país.

No início, a Rússia decidiu não fornecer à Síria mísseis S-300 depois de ouvir as opiniões de vários países ocidentais. No entanto, agora poderia mudar de ideia após os ataques contra a Síria. Se isso acontecer, Israel deveria estudar mais cuidadosamente suas incursões aéreas na Síria.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas