Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Israel receia que Rússia forneça mísseis S-300 à Síria

Nos círculos políticos e militares israelenses teme-se que a Rússia possa vender sistemas de defesa antiaérea S-300 à Síria, algo que não aconteceu até agora.


Sputnik

A presença em grande escala desses mísseis na Síria limitaria as ações dos militares israelenses, que, nos últimos anos, têm realizado centenas de incursões naquele país sem correr praticamente nenhum risco.


S-300 durante um ensaio de treinamento
S-300 russo © Sputnik / Alexei Daniche

Até agora, a Rússia forneceu à Síria somente mísseis fabricados na época da União Soviética e não os mísseis mais modernos.

Atualmente, o sistema de defesa antiaéreo mais avançado que a Síria possui é o russo Pantsir- S1, que derrubou drones e mísseis disparados contra o país.

No início, a Rússia decidiu não fornecer à Síria mísseis S-300 depois de ouvir as opiniões de vários países ocidentais. No entanto, agora poderia mudar de ideia após os ataques contra a Síria. Se isso acontecer, Israel deveria estudar mais cuidadosamente suas incursões aéreas na Síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas