Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Israel retaliará se Irã atacar Tel Aviv, avisa ministro da Defesa

O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, prometeu retaliar caso o Irã ataque Tel Aviv, comunicou o portal de notícias saudita Elaph.


Sputnik

Lieberman está atualmente em visita oficial aos EUA para manter negociações com o secretário da Defesa James Mattis e o conselheiro de Segurança Nacional Michael Bolton.


Caça F-15 israelense durante um show aéreo por ocasião do 70º aniversário da criação do Estado de Israel, Tel Aviv, 12 de abril de 2018
F-15 Eagle israelense © AFP 2018 / JACK GUEZ

"Israel não quer guerra […] mas se o Irã atacar Tel Aviv, nós atacaremos Teerã", disse o ministro ao portal.

A afirmação surge após anteriormente nesta quinta-feira (26) o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, ter apelado aos países muçulmanos para se unirem contra os Estados Unidos e seus inimigos comuns.

Ao mesmo tempo, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou nesta semana que o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica iraniano estaria criando um exército para destruir Israel.

As relações entre os dois países, que sempre foram tensas, agravaram-se no início do mês após dois caças israelenses atacarem a base T-4 na Síria, matando sete iranianos que trabalhavam no país.

Irã é um dos poucos países que se recusam a reconhecer o Estado de Israel, sendo acusado de tentar desenvolver armas nucleares para um possível ataque contra esse país.

Postar um comentário