Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Japão diz que promessa da Coreia do Norte sobre fim de testes é insuficiente

O ministro da Defesa do Japão, Itsunori Onodera, afirmou neste sábado que a ação da Coreia do Norte é insuficiente para interromper os testes de mísseis nucleares e de longo alcance, disse a mídia local.


Sputnik

Falando em Washington, o chefe da defesa japonesa descreveu o compromisso como "insatisfatório" e "insuficiente", segundo a emissora NHK, e exigiu o fim dos testes de mísseis de curto e médio alcance.


Uma televisão instalada em uma rua de Tóquio mostra o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, no dia em que Pyongyang lançou um míssil em direção ao Japão
Kim Jong-un © REUTERS / Issei Kato

Onodera afirmou que não é hora de aliviar a pressão internacional sobre a Coreia do Norte, que, segundo ele, deve abandonar todas as armas nucleares.

O Japão promete manter a pressão máxima sobre Pyongyang até que isso seja cumprido plenamente, acrescentou o ministro.

Apesar do líder norte-coreano Kim Jong-un ter anunciado o fim dos testes neste sábado, o espaço aéreo japonês já foi invadido em mais de uma oportunidade por mísseis da Coreia do Norte, o que significa que a posse de tais armas, mesmo sem os testes, seguirá preocupando Tóquio.

Comentários

Postagens mais visitadas