Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Lavrov: EUA, França e Reino Unido bombardearam negociações de Genebra ao atacar Síria

Lavrov e Mistura se preocupam com escalada de violência na Síria, na iminência de possível avanço das negociações sírias em Genebra.


Sputnik

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, declarou que Moscou e ONU estão preocupadas com o apelo da Coalizão Nacional Síria, que faz oposição ao Damasco, para que os Estados Unidos, o Reino Unido e a França "continuem suas agressivas ações militares e ampliem a operação" para todo o território da Síria.


Ministro das Relações Exteriores da Federação da Rússia, Sergei Lavrov, durante cúpula da Organização do Acordo de Segurança Coletiva em Minsk, em 30 de novembro de 2017
Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov | Sputnik

O ministro classificou este apelo de inadmissível, durante uma coletiva de imprensa conjunta com o enviado especial do Secretário-Geral da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, realizada em Moscou.

O ministro acrescentou que, após a realização do Congresso do diálogo nacional sírio em Sochi e a cúpula dos presidentes da Rússia, Turquia e Irã em Ancara, no dia 4 de abril, um "verdadeiro diálogo sírio, principalmente sobre a reforma constitucional" está muito próximo de acontecer em Genebra.

"Portanto, os três países mencionados bombardearam não apenas as instalações químicas fictícias na Síria, mas também bombardearam as negociações em Genebra", concluiu Lavrov.

Postar um comentário