Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Lavrov: EUA, França e Reino Unido bombardearam negociações de Genebra ao atacar Síria

Lavrov e Mistura se preocupam com escalada de violência na Síria, na iminência de possível avanço das negociações sírias em Genebra.


Sputnik

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, declarou que Moscou e ONU estão preocupadas com o apelo da Coalizão Nacional Síria, que faz oposição ao Damasco, para que os Estados Unidos, o Reino Unido e a França "continuem suas agressivas ações militares e ampliem a operação" para todo o território da Síria.


Ministro das Relações Exteriores da Federação da Rússia, Sergei Lavrov, durante cúpula da Organização do Acordo de Segurança Coletiva em Minsk, em 30 de novembro de 2017
Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov | Sputnik

O ministro classificou este apelo de inadmissível, durante uma coletiva de imprensa conjunta com o enviado especial do Secretário-Geral da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, realizada em Moscou.

O ministro acrescentou que, após a realização do Congresso do diálogo nacional sírio em Sochi e a cúpula dos presidentes da Rússia, Turquia e Irã em Ancara, no dia 4 de abril, um "verdadeiro diálogo sírio, principalmente sobre a reforma constitucional" está muito próximo de acontecer em Genebra.

"Portanto, os três países mencionados bombardearam não apenas as instalações químicas fictícias na Síria, mas também bombardearam as negociações em Genebra", concluiu Lavrov.

Comentários

Postagens mais visitadas