Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Liga Árabe pede inquérito do Conselho de Segurança sobre os assassinatos de Israel em Gaza

A Liga Árabe condenou os "crimes contra a humanidade" de Tel Aviv em Gaza, exigindo que as Nações Unidas e o Tribunal Penal Internacional (TPI) iniciem investigações sobre os recentes assassinatos de manifestantes palestinos desarmados em Israel.


Pars Today

O órgão pan-árabe reuniu-se na sede do grupo regional no Cairo na terça-feira, em uma base ad hoc para enfrentar os ataques de Israel contra os manifestantes palestinos anti-ocupação em 30 de março.


Liga Árabe pede inquérito do Conselho de Segurança sobre os assassinatos de Israel em Gaza
Jovem com a bandeira da Palestina | Reprodução

Naquele dia, os moradores de Gaza marcharam até a cerca que separava o enclave das terras ocupadas por Israel no início de um protesto de seis semanas, apelidado de "A Grande Marcha de Retorno".

O protesto em massa, no entanto, tornou-se violento quando as forças militares israelenses usaram força letal para dispersar a multidão. Além dos 18 mortos, cerca de 1.500 moradores de Gaza foram feridos.

Israel já havia implantado veículos militares e forças especiais, incluindo 100 franco-atiradores, na fronteira de Gaza. As forças do regime também foram autorizadas a atirar nos manifestantes.

A Liga Árabe também apoiou um pedido do movimento de resistência palestino Hamas para processar Israel no TPI por seus crimes contra os moradores de Gaza.

Cuba assola a atrocidade do regime sionista contra os palestinos

O Ministério das Relações Exteriores de Cuba em uma mensagem denunciou recentes crimes contra os direitos humanos cometidos pelo regime sionista de Israel contra os palestinos.

"Expressamos a mais forte condenação à nova e criminosa agressão do Exército israelense contra o povo palestino na Faixa de Gaza", disse o diretor-geral do Departamento Bilateral de Relações Exteriores, Emilio Lozada, à agência de notícias cubana Prensa Latina.

“É uma ação brutal que representa uma grave e flagrante violação do Capítulo das Nações Unidas e dos Direitos Humanos Internacionais, e acirra as tensões na região que afastam a possibilidade de qualquer esforço para retomar as negociações de paz entre palestinos e israelenses”, acrescentou.

Durante os protestos pacíficos realizados pelos palestinos na Faixa de Gaza, as forças militares israelenses mataram pelo menos 17 palestinos, a maioria com menos de 16 anos e feriram cerca de 1.500 outros. Isto enquanto nenhum dos manifestantes estava armado.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas