Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares dos EUA prometem responder a possível ataque turco contra cidade síria de Manbij

Os militares norte-americanos prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade síria de Manbij à luz de uma possível operação turca na área, afirmou o comandante do Conselho Militar de Manbij, que faz parte das Forças Democráticas da Síria (FDS), Ebu Adil.
Sputnik

Em entrevista à Sputnik Turquia, Ebu Adil comentou a resposta dos EUA às preocupações expressas pelos representantes do Conselho Militar de Manbij devido a um possível ataque contra a cidade síria por parte de Ancara.


"Há dois anos, em conjunto com as forças da coalizão liderada pelos EUA, nós limpamos Manbij do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Desde então, na cidade se encontram forças da coalizão. Algum tempo atrás, nós falamos com os militares norte-americanos sobre um possível ataque da Turquia contra Manbij. Os militares dos EUA prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade, de onde quer que ele provenha", afirmou o comandante do conselho.

Além disso, ele …

Liga Árabe pede inquérito do Conselho de Segurança sobre os assassinatos de Israel em Gaza

A Liga Árabe condenou os "crimes contra a humanidade" de Tel Aviv em Gaza, exigindo que as Nações Unidas e o Tribunal Penal Internacional (TPI) iniciem investigações sobre os recentes assassinatos de manifestantes palestinos desarmados em Israel.


Pars Today

O órgão pan-árabe reuniu-se na sede do grupo regional no Cairo na terça-feira, em uma base ad hoc para enfrentar os ataques de Israel contra os manifestantes palestinos anti-ocupação em 30 de março.


Liga Árabe pede inquérito do Conselho de Segurança sobre os assassinatos de Israel em Gaza
Jovem com a bandeira da Palestina | Reprodução

Naquele dia, os moradores de Gaza marcharam até a cerca que separava o enclave das terras ocupadas por Israel no início de um protesto de seis semanas, apelidado de "A Grande Marcha de Retorno".

O protesto em massa, no entanto, tornou-se violento quando as forças militares israelenses usaram força letal para dispersar a multidão. Além dos 18 mortos, cerca de 1.500 moradores de Gaza foram feridos.

Israel já havia implantado veículos militares e forças especiais, incluindo 100 franco-atiradores, na fronteira de Gaza. As forças do regime também foram autorizadas a atirar nos manifestantes.

A Liga Árabe também apoiou um pedido do movimento de resistência palestino Hamas para processar Israel no TPI por seus crimes contra os moradores de Gaza.

Cuba assola a atrocidade do regime sionista contra os palestinos

O Ministério das Relações Exteriores de Cuba em uma mensagem denunciou recentes crimes contra os direitos humanos cometidos pelo regime sionista de Israel contra os palestinos.

"Expressamos a mais forte condenação à nova e criminosa agressão do Exército israelense contra o povo palestino na Faixa de Gaza", disse o diretor-geral do Departamento Bilateral de Relações Exteriores, Emilio Lozada, à agência de notícias cubana Prensa Latina.

“É uma ação brutal que representa uma grave e flagrante violação do Capítulo das Nações Unidas e dos Direitos Humanos Internacionais, e acirra as tensões na região que afastam a possibilidade de qualquer esforço para retomar as negociações de paz entre palestinos e israelenses”, acrescentou.

Durante os protestos pacíficos realizados pelos palestinos na Faixa de Gaza, as forças militares israelenses mataram pelo menos 17 palestinos, a maioria com menos de 16 anos e feriram cerca de 1.500 outros. Isto enquanto nenhum dos manifestantes estava armado.

Postar um comentário