Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA vão suspender Tratado INF se Rússia não cumprir acordo, diz vice-secretário de Estado

Os EUA vão suspender suas obrigações no Tratado INF, que trata a respeito armas nucleares de médio alcance, no dia 2 de fevereiro se a Rússia não apresentar provas de que está cumprindo o acordo, disse o vice-secretário de Estado.
Sputnik

Em outubro, o presidente dos EUA anunciou que seu país abandonaria o Tratado INF, assinado pelos Estados Unidos e pela União Soviética em 1987.


Trump argumentou que Moscou estava desenvolvendo mísseis que violam esse pacto.

Em 4 de dezembro, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que Washington suspenderia sua adesão ao INF no prazo de 60 dias se a Rússia não voltasse a cumprir suas obrigações.

No entanto, a Rússia nega categoricamente todas as acusações. O líder russo, Vladimir Putin, declarou que Moscou se opõe à violação do Tratado INF, mas responderá se isso acontecer.

Macron revelou os alvos dos ataques aéreos na Síria

O presidente da França, Emmanuel Macron, revelou os alvos dos ataques aéreos realizados nesta sexta-feira por EUA, Reino Unido e França na Síria.


Sputnik

O presidente da França, Emmanuel Macron, confirmou os ataques aéreos conjuntos com os EUA e Grã-Bretanha contra Síria. 


US Präsident Donald Trump und sein Kollege aus Frankreich Emmanuel Macron bei der Konferenz in Paris
Donald Trump e Emmanuel Macron © AP Photo / Carolyn Kaster

A nossa operação ficará limitada aos ataques contra instalações do governo sírio, que permitem criar e utilizar armas químicas", informou um comunicado do Palácio do Eliseu.

Na noite de sexta-feira, Trump disse um ataque estava em andamento, em resposta ao suposto ataque químico em Douma, que Damasco e Moscou negam.

Os analistas estão intrigados com a lógica da decisão de Trump de enfrentar o "assassino Assad" com chuva de explosivos na Síria, matando sírios.

As cidades de Damasco, Homs, uma instalação de pesquisa em Barzeh foram supostamente atacadas durante as operações militares dos EUA, Reino Unido e França.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas