Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Médico do hospital de Douma nega pressão sobre testemunhas que refutam ataque químico

O administrador da ala de emergência do hospital da cidade síria de Douma declarou em uma entrevista coletiva em Haia, nesta quinta-feira (26), que a delegação composta por testemunhas, que refutam o suposto ataque químico na cidade, não foi pressionada a viajar para a sede da OPAQ nos Países Baixos.


Sputnik

Um repórter da coletiva de imprensa organizada pela missão permanente da Rússia na OPAQ perguntou às testemunhas sírias se haviam sido pressionadas a apresentar seus relatos de uma forma que favorecesse a Rússia e o governo de Bashar Assad.


Resultado de imagem para Médico do hospital de Douma
Médico do hospital de Douma e estudante de medicina, ambos no plantão do alegado "ataque químico", se reconhecem no vídeo da encenação e relatam o que viram

"Esta é uma pergunta muito estranha, nós viemos aqui não porque estávamos sob pressão. Ninguém nos disse o que dizer, nós viemos aqui para dizer a verdade", disse a autoridade médica.

No início deste mês, vários meios de comunicação e países ocidentais acusaram Damasco de usar armas químicas no subúrbio de Douma, em Damasco, em 7 de abril.

A Rússia e a Síria alegam que o ataque foi encenado e usado como provocação para justificar ataques ao país.

Soldados russos não encontraram vestígios de nenhum ataque no local, mas descobriram um laboratório de militantes equipado para fabricar armas químicas.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas