Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Ministro da Defesa russo indica onde Daesh está concentrando forças após derrota na Síria

Após serem derrotados no Iraque e na Síria, os terroristas do grupo Daesh (proibido na Rússia) estão se mudando para a Ásia Central e o Sudeste Asiático, afirmou o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu.


Sputnik

Segundo o ministro, na região "estão sendo criadas novas células terroristas". A afirmação foi feita durante a reunião dos ministros da Defesa da Organização de Cooperação de Xangai (OCX).


Militar das forças antiterroristas iraquianas perto de um graffiti mostrando o emblema do Daesh, Iraque (foto de arquivo)
Militar iraquiano com grafite do Daesh ao fundo © AP Photo / Hadi Mizban

A situação se agrava devido ao fato de os terroristas estarem utilizando armas modernas, incluindo drones, detalhou o ministro.

Em particular, sublinhou, os drones usados pelos radicais na Síria são capazes de operar a uma distância de mais de 100 quilômetros.

"É impossível produzir [tais drones] sem o apoio técnico dos países desenvolvidos. O uso destes veículos em áreas densamente povoadas pode ter consequências catastróficas", comentou Shoigu.

Em 19 de novembro passado, os terroristas do Daesh foram expulsos de seu último bastião, Al-Bukamal, na Síria. A libertação da cidade marcou o fim do califado autoproclamado em 2014. No Iraque, as autoridades anunciaram oficialmente a derrota do Daesh no país em 9 de dezembro de 2017.

Comentários

Postagens mais visitadas