Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

O ataque de soldados israelenses à Universidade Al-Quds deixa vários feridos

Vários palestinos ficaram feridos no ataque de soldados israelenses em uma universidade na cidade palestina de Al-Quds (Jerusalém), nos territórios palestinos ocupados. Eles também fizeram várias prisões e forçaram a fechar o campus.


Pars Today

De acordo com o site do “Middle East Eye”, o incidente ocorreu quando soldados israelenses entraram em uma universidade no Jerusalém [Al-Quds] com o pretexto de fechar os buracos feitos pelos estudantes no muro israelense da apartheid.


O ataque de soldados israelenses à Universidade Al-Quds deixa vários feridos
Reprodução

Uma vez dentro do campus, eles instalaram câmeras de segurança para monitorar as atividades dos alunos. Atualmente, todo o campus está sob o controle das forças de guerra de Israel.

Os militares israelenses também bloquearam o acesso à universidade e o reitor daquela escola foi forçado a suspender suas atividades nos próximos dias por temer a segurança de estudantes e professores. Eles vieram com escavadeiras e dispararam gás lacrimogêneo, granadas de efeito moral e balas de borracha. Os alunos estão incomodados com esse assunto.

“Não é a primeira vez que soldados israelenses tentam nos privar da educação”, disse um dos estudantes da Universidade de Jerusalém atacado por soldados israelenses.

Palestinos denunciam que Israel mantém 340 estudantes na prisão

Em face do silêncio e da indiferença das autoridades israelenses, o Ministério da Educação palestino denunciou o regime de Tel Aviv no domingo por manter cerca de 340 estudantes universitários palestinos em suas prisões e exigiu sua libertação rápida.

Fontes e estudantes citados pelo Oriente Médio afirmam que soldados israelenses atacaram a universidade com escavadeiras, enquanto disparavam balas de borracha e gás lacrimogêneo contra os estudantes. “Não é a primeira vez que soldados israelenses tentam nos privar da educação", disse um dos estudantes.

Incidentes desse tipo são comuns nos territórios palestinos ocupados, onde as forças militares do regime de Tel Aviv atacam com frequência os palestinos, deixando dezenas de fatalidades em seu rastro.

Postar um comentário