Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

'Obrigado, presidente Putin': britânicos apoiam política russa na Síria

A embaixada russa em Londres publicou trechos de cartas nas quais cidadãos britânicos manifestam apoio a Moscou e agradecem as autoridades russas pelas suas ações na Síria.


Sputnik

Os britânicos que enviaram cartas à missão diplomática russa elogiaram a contribuição russa no combate ao terrorismo no Oriente Médio.


A posição russa em muitas edições internacionais, baseada no senso comum e na razão, parece ser completamente próxima aos sentimentos de muitos cidadãos britânicos.

"As autoridades dos países ocidentais deveriam relembrar a história e suas ações hoje em dia antes de criticar a Rússia, que salvou o mundo na Segunda Guerra Mundial e que está lutando contra o terrorismo. No Reino Unido vocês têm muitos amigos e seu apoio. Obrigado, presidente Putin e povo russo", escreveu um cidadão britânico à embaixada, que publicou sua carta no Twitter.

Alguns britânicos expressaram a esperança de que os presidentes russo e sírio possam conseguir a paz na região, contando com o apoio por parte dos líderes de outros países. Por exemplo, em uma das cartas um britânico aconselhou Putin e Assad a recorrerem à ajuda do presidente da África do Sul.

Mais cedo, os diplomatas russos publicaram cartas nas quais os britânicos se desculpavam pelas ações do seu governo no âmbito do caso Skripal.

Os países ocidentais costumam condenar a Rússia pela sua operação militar na Síria. Moscou, por sua vez, sublinha que a Rússia está agindo a pedido oficial do presidente sírio, Bashar Assad. Já a coalizão ocidental liderada pelos EUA começou a operação sem a permissão de Damasco e sem alguma resolução por parte da ONU.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas