Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Opinião: Síria tem direito de revidar ataque contra sua base

Atualmente a República Árabe da Síria tem direito de revidar às bases militares das quais foram lançados mísseis que atacaram o aeródromo militar sírio na província de Homs, afirma o deputado russo.


Sputnik

Anteriormente, a agência estatal da Síria SANA comunicou que a base aérea T-4, localizada na província síria de Homs, foi alvo de ataque de mísseis.


Base aérea síria na província de Homs
Militar sírio ao lado de um Mig 21 © Sputnik/ Ilia Pitalev

"Agora, a Síria tem direito de realizar ataque em resposta contra aquelas bases [de onde os mísseis foram lançados] se isso veio da coalizão, e não duvido que este seja um dos países da coalizão que se encontra na Síria ilegalmente", afirmou o vice-presidente do Comitê de Segurança e Defesa da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), Yuri Shvytkin.

Assim, ele confirmou que a Síria "pode atacar aquelas bases que se encontram no território da República Árabe da Síria e também contra aquele Estado, cujo território foi atingido por um ataque de mísseis".

Previamente, o Ministério da Defesa russo afirmou que a "Força Aérea de Israel, sem invadir o espaço aéreo da Síria, realizou do território libanês ataques com oito mísseis contra a base T-4. As unidades de defesa antimíssil síria, em combate aéreo, conseguiram abater cinco mísseis".

Israel ainda não confirmou as informações, enquanto a mídia libanesa informou que aviões de reconhecimento israelenses foram avistados na área no momento do ataque.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas