Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Oposição síria retomará ofensiva para conquistar novos territórios caso EUA ataquem

O comando do Exército Livre da Síria declarou nesta quarta-feira que oposição síria retomará ofensiva para recuperar territórios perdidos e conquistar novos.


Sputnik

As notícias sobre uma nova possível ofensiva na Síria chegam no momento em que o presidente dos EUA, Donald Trump, ameaça atacar o país com míssil. 


Militantes do Exército Livre da Síria em Dabiq, foto de arquivo
Terroristas do Exército Livre da Síria, treinados, armados e apoiados pelos EUA © AFP 2018 / Nazeer al-Khatib

Um comandante do Exército Livre da Síria anunciou que iniciará uma nova ofensiva após um possível ataque dos EUA na Síria. Segundo ele, o Exército Livre da Síria está planejando recuperar áreas perdidas e conquistar novas.

"Tentaremos, em primeiro lugar, aproveitar-se deste ataque na área militar, nos campos de combate, pois estes ataques levarão à dispersão das forças do regime [de Assad], criação de caos e retirada do regime", frisou.

Ele também afirmou que um possível ataque dos EUA enfraquecerá as posições de Damasco e permitirá iniciar uma "negociações reais" para acordo de paz.

De acordo com o comandante, tais acontecimentos podem virar plataforma para realizar ataques cujo decurso permitirá recuperar controle sobre alguns territórios e conquistar novos.

"Como forças da oposição, vamos nos aproveitar da debilidade política que enfrentará o regime e, provavelmente, essa vai ser uma medida para pressionar Rússia para começar negociações reais", Fateh Hassan, falando com Sputnik.

Mais cedo, presidente Trump escreveu no Twitter que os mísseis que os EUA podem lançar contra Síria são "bons, novos e inteligentes", advertindo que a Rússia se prepare.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas