Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Oposição síria retomará ofensiva para conquistar novos territórios caso EUA ataquem

O comando do Exército Livre da Síria declarou nesta quarta-feira que oposição síria retomará ofensiva para recuperar territórios perdidos e conquistar novos.


Sputnik

As notícias sobre uma nova possível ofensiva na Síria chegam no momento em que o presidente dos EUA, Donald Trump, ameaça atacar o país com míssil. 


Militantes do Exército Livre da Síria em Dabiq, foto de arquivo
Terroristas do Exército Livre da Síria, treinados, armados e apoiados pelos EUA © AFP 2018 / Nazeer al-Khatib

Um comandante do Exército Livre da Síria anunciou que iniciará uma nova ofensiva após um possível ataque dos EUA na Síria. Segundo ele, o Exército Livre da Síria está planejando recuperar áreas perdidas e conquistar novas.

"Tentaremos, em primeiro lugar, aproveitar-se deste ataque na área militar, nos campos de combate, pois estes ataques levarão à dispersão das forças do regime [de Assad], criação de caos e retirada do regime", frisou.

Ele também afirmou que um possível ataque dos EUA enfraquecerá as posições de Damasco e permitirá iniciar uma "negociações reais" para acordo de paz.

De acordo com o comandante, tais acontecimentos podem virar plataforma para realizar ataques cujo decurso permitirá recuperar controle sobre alguns territórios e conquistar novos.

"Como forças da oposição, vamos nos aproveitar da debilidade política que enfrentará o regime e, provavelmente, essa vai ser uma medida para pressionar Rússia para começar negociações reais", Fateh Hassan, falando com Sputnik.

Mais cedo, presidente Trump escreveu no Twitter que os mísseis que os EUA podem lançar contra Síria são "bons, novos e inteligentes", advertindo que a Rússia se prepare.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas