Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Presidente francês a Putin: 'Moscou é cúmplice no uso de armas químicas na Síria'

O presidente francês afirmou que os mísseis lançados por jatos franceses como parte do ataque conjunto contra instalações sírias atingiram todos os alvos planejados.


Sputnik

Macron informou ainda que disse ao presidente russo, Vladimir Putin, que Moscou é cúmplice no suposto uso de armas químicas em Douma, na Síria. Aos jornalistas, o presidente garantiu que a operação contra a Síria era "legítima" e conduzida dentro da legalidade prevista na comunidade internacional.


O presidente russo Vladimir Putin e o presidente francês Emmanuel Macron reuniram-se no Grand Trianon do Palácio de Versalhes em Paris, 29 de maio de 2017
Emmanuel Macron e Vladimir Putin © Foto : Russian Presidential Press Office

A França foi um dos três países que, ao lado dos EUA e do Reino Unido, atacaram instalações sírias em represália ao suposto uso de armas químicas em Douma. A liderança síria negou qualquer envolvimento no ataque e convidou os especialistas da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) para investigar a denúncia.

De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, os três países dispararam mais de 100 mísseis de cruzeiro e terra-ar, a maioria abatida pela defesa aérea síria. De acordo com Damasco, o ataque danificou infraestrutura da Síria e deixou três civis feridos.

O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou no sábado que os bombardeios foram realizados em violação das normas e princípios do direito internacional.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas