Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Risco real: ONU alerta para a crescente ameaça do uso de armas nucleares

A ameaça do uso de armas nucleares continua a crescer, enquanto importantes acordos internacionais sobre segurança coletiva estão sendo violados, disse o vice-secretário-geral e alto representante da ONU para Assuntos de Desarmamento, Izumi Nakamitsu.


Sputnik

"O mundo enfrenta hoje os mesmos desafios que levaram à criação do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP), a ameaça do uso de armas nucleares internacionalmente ou não, está crescendo", afirmou Nakamitsu.


Nuclear explosion
Explosão nuclear © Foto : Pixabay

Falando na reunião da sessão preparatória da Conferência de Revisão do TNP, uma cúpula a ser realizada em 2020, ele acrescentou que "esta ameaça, que afeta toda a humanidade, existirá enquanto os arsenais nacionais tiverem armas nucleares".

Nakamitsu ressaltou que a situação geopolítica continua a piorar, enquanto alguns dos acordos mais importantes sobre segurança coletiva estão sendo violados.

"A retórica sobre a necessidade e utilidade das armas nucleares está aumentando, a modernização dos programas dos Estados nucleares leva muitos a caracterizá-la como uma nova corrida armamentista", analisou.

Ele também enfatizou a necessidade de continuar as negociações sobre o controle de armas e o desarmamento antes que o mundo seja incapaz de controlar a criação e o uso de arsenais nucleares.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas