Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Rússia acusa facção de violar acordo de evacuação de Duma

A Rússia acusou neste sábado a facção Jaysh al-Islam (Exército do Islã) de violar o acordo de evacuação do reduto rebelde de Duma e de atacar com bombas a capital síria, Damasco.


EFE

Moscou - "Os guerrilheiros de Jaysh al-Islam liderados por Abu Kusaem violaram o acordo e bloquearam a saída de civis de Duma pelo corredor humanitário habilitado", disse à imprensa russa o general Yuri Yevtushenko, chefe do Centro Russo de Reconciliação na Síria.


Resultado de imagem para duma siria
Duma, Síria

O general acusou os terroristas de "retomarem as ações militares contra as forças governamentais" com armamento pesado e de utilizarem civis como "escudos humanos".

"A intensidade dos ataques está aumentando. Nos últimos dois dias, 25 minas e projéteis impactaram a capital, ataques nos quais sete pessoas morreram e 42 ficaram feridas", detalhou.

Yevtushenko também denunciou o assassinato dos líderes rebeldes que queriam negociar com o regime sírio de Bashar al Assad e com a Rússia - Abu Humam, Abu Omar e Abu Ali - e dos civis que desejavam a saída dos extremistas de Duma.

No total, segundo informou o militar russo, desde o início de março mais de 33 mil civis foram evacuados de Duma, entre eles mais de 700 rebeldes e 3.390 integrantes de suas famílias, com destino a Aleppo.

As autoridades russas tinham previsto há poucos dias que a operação de libertação de Ghouta Oriental terminaria em meados deste mês.

A evacuação de civis e combatentes de Duma foi suspensa na sexta-feira após a negativa de capitulação do Exército do Islã, que rejeitou a proposta russa.

Enquanto isso, o exército sírio assumiu neste sábado o controle da região de Basatin al Rihan, nos arredores de Duma, e tomou cerca de 50 fazendas após combates com os milicianos.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, desde o começo dos combates na sexta-feira, pelo menos 48 civis morreram nesta cidade, entre eles oito menores de idade e seis mulheres. De acordo com a ONG, dezenas morreram sob os bombardeios da aviação russa contra Duma.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas