Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Quem vai receber 'resposta esmagadora' do Irã pelo atentado em Ahvaz?

No sábado (22), militantes armados abriram fogo contra uma parada militar na cidade de Ahvaz, matando 29 pessoas e ferindo outras 60. O Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, que perdeu 12 de seus militares no atentado, prometeu que o Irã daria uma "resposta esmagadora" aos envolvidos no ataque. Mas de quem Teerã irá se vingar?
Sputnik

A responsabilidade pelo atentado foi assumida pelo Movimento Democrático Patriótico Árabe de Ahvaz (Al-Ahvazia), ligado à Arábia Saudita.

O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, comentando a tragédia, afirmou que os atacantes receberam dinheiro da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos e que tinham sido apoiados pelos EUA.

Ex-chefe do Conselho de Cultura da administração presidencial iraniana, doutor Abbas Amirifar, acredita que por trás do ataque em Ahvaz estão países do Ocidente que "têm uma atitude hostil perante o Irã".

"Vale destacar que os terroristas que disseram estar envolvidos no atentado instalaram-se no Oc…

Rússia acusa facção de violar acordo de evacuação de Duma

A Rússia acusou neste sábado a facção Jaysh al-Islam (Exército do Islã) de violar o acordo de evacuação do reduto rebelde de Duma e de atacar com bombas a capital síria, Damasco.


EFE

Moscou - "Os guerrilheiros de Jaysh al-Islam liderados por Abu Kusaem violaram o acordo e bloquearam a saída de civis de Duma pelo corredor humanitário habilitado", disse à imprensa russa o general Yuri Yevtushenko, chefe do Centro Russo de Reconciliação na Síria.


Resultado de imagem para duma siria
Duma, Síria

O general acusou os terroristas de "retomarem as ações militares contra as forças governamentais" com armamento pesado e de utilizarem civis como "escudos humanos".

"A intensidade dos ataques está aumentando. Nos últimos dois dias, 25 minas e projéteis impactaram a capital, ataques nos quais sete pessoas morreram e 42 ficaram feridas", detalhou.

Yevtushenko também denunciou o assassinato dos líderes rebeldes que queriam negociar com o regime sírio de Bashar al Assad e com a Rússia - Abu Humam, Abu Omar e Abu Ali - e dos civis que desejavam a saída dos extremistas de Duma.

No total, segundo informou o militar russo, desde o início de março mais de 33 mil civis foram evacuados de Duma, entre eles mais de 700 rebeldes e 3.390 integrantes de suas famílias, com destino a Aleppo.

As autoridades russas tinham previsto há poucos dias que a operação de libertação de Ghouta Oriental terminaria em meados deste mês.

A evacuação de civis e combatentes de Duma foi suspensa na sexta-feira após a negativa de capitulação do Exército do Islã, que rejeitou a proposta russa.

Enquanto isso, o exército sírio assumiu neste sábado o controle da região de Basatin al Rihan, nos arredores de Duma, e tomou cerca de 50 fazendas após combates com os milicianos.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, desde o começo dos combates na sexta-feira, pelo menos 48 civis morreram nesta cidade, entre eles oito menores de idade e seis mulheres. De acordo com a ONG, dezenas morreram sob os bombardeios da aviação russa contra Duma.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas