Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Rússia ultrapassou EUA em muitos anos quanto às armas hipersônicas, diz analista

A mídia informou sobre planos dos EUA de desenvolverem armas hipersônicas. O analista militar Viktor Murakhovsky opinou à Sputnik que este processo levará muito tempo a Washington.


Sputnik

Segundo comunicou o jornal Defense News, o Pentágono firmou um contrato com a empresa Lockheed Martin para criar um protótipo de míssil de cruzeiro hipersônico que deverá equipar os aviões da Força Aérea dos EUA.


Míssil hipersônico Moskit lançado de um navio durante os exercícios realizados no mar do Japão
Míssil hipersônico russo Moskit © Sputnik / Ildus Gilyazutdinov

De acordo com o jornal, os EUA planejam gastar com desenvolvimento de armas hipersônicas quase um bilhão de dólares (R$ 3,4 bilhões).

Comentando os relatos, o analista militar russo Viktor Murakhovsky afirmou no ar do serviço russo da Rádio Sputnik que os Estados Unidos precisarão de muito tempo para realizar tal projeto e poderem se igualar à Rússia.

"Se estivermos falando em um voo hipersônico guiado em camadas densas da atmosfera, agora apenas a Rússia possui armas com tais capacidades. Os EUA não têm realizado tais pesquisas ultimamente", disse Murakhovsky, sublinhando que os EUA ainda não têm levado a cabo trabalhos de pesquisas práticas e com maquetas.

Porém, acrescenta, após o discurso do presidente russo Vladimir Putin perante a Assembleia Federal em que ele apresentou uma série de novíssimas armas russas, os norte-americanos planejam disponibilizar recursos para este fim.

O problema é que este processo levará bastante tempo, opina o analista.

"Os recursos devem ser alocados no orçamento para 2019, apenas depois disso se iniciarão os novos desenvolvimentos. Ou seja, a Rússia deixou os Estados Unidos muitos anos para trás — eles precisarão de muito tempo para criar armas parecidas", ressaltou Murakhovsky.

O discurso anual de Vladimir Putin deste ano suscitou muita atenção dos países ocidentais. Em particular, militares norte-americanos afirmaram que os EUA precisam de desenvolver um sistema de radares de posicionamento orbital a fim de fazer frente às armas hipersônicas russas.

Postar um comentário