Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

'Se acabou o tempo de nos atacar e de fugir', diz líder supremo do Irã

"Se acabou o tempo de nos atacar e de fugir. Seus ataques serão respondidos com ataques", avisou o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, comentando os bombardeios efetuados na Síria no domingo (29), informou o jornalista israelense Amichai Stein.


Sputnik

Além disso, o líder supremo iraniano declarou que "onde quer que Washington entre, cria instabilidade e traz miséria às pessoas e, por isso, os EUA devem se retirar do Sudoeste Asiático; os EUA devem abandonar essa região". 


Líder supremo iraniano, Ali Khamenei
Aiatolá Ali Khamenei © AP Photo/ Sem credencial

Na noite do domingo (29) a agência síria Sana citou uma fonte militar que confirmou "uma nova agressão com mísseis inimigos" cujo alvo foram posições militares em Hama e Aleppo.

Segundo algumas fontes, o ataque casou a morte de vários militares iranianos e Israel poderia ter estado por trás de ataque, embora não exista confirmação oficial dessa suposição.

No domingo, o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, disse que o país irá manter sua "liberdade de operação" na Síria.

Postar um comentário