Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA ameaçam Turquia com sanções em caso de compra dos sistemas S-400 da Rússia

Em dezembro 2017, Rússia e Turquia assinaram um acordo de empréstimo para o fornecimento de sistemas de mísseis de defesa aérea S-400 russos para a Turquia.
Sputnik

O assessor do secretário de Estado dos EUA, Wess Mitchell, declarou nesta quarta-feira (18), durante uma audiência na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes dos EUA, que a Turquia pode receber sanções após a compra dos sistemas de defesa russos S-400.


"Ancara confirma que concordou em comprar os sistemas de mísseis russos S-400, o que pode potencialmente levar a sanções no âmbito do artigo 231 da Lei de Contenção de Adversários da América Através de Sanções [CAATSA] e influencia negativamente sobre a participação no programa dos F-35 [caças de 5ª geração]", disse o representante do Departamento de Estado na audiência sobre a política dos EUA no Oriente Médio.

Em dezembro do ano passado, os representantes russos e turcos assinaram um acordo de crédito para fornecimento de sistemas S-400. Segundo …

Se Lula (PT) se candidatar será necessária intervenção militar, diz general da reserva

O general de exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, disse em entrevista publicada nesta terça-feira (03) que se o Supremo Tribunal Federal (STF) aceitar o habeas corpus pedido pelo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será necessária a intervenção militar.


Sputnik

"Se acontecer tanta rasteira e mudança da lei, aí eu não tenho dúvida de que só resta o recurso à reação armada. Aí é dever da Força Armada restaurar a ordem. Mas não creio que chegaremos lá", disse ao jornal O Estado de S.Paulo.


Lula da Silva é visto durante uma reunião do PT em 13 de julho de 2017 em São Paulo
Lula (PT) © AP Photo/ Andre Penner

Lessa afirmou que o STF estará agindo como "indutor" da violência entre os brasileiros, "propagando a luta fratricida, em vez de amenizá-la".

"O que querem no momento é abdicar da Justiça e fazer politicagem na mais Alta Corte do País", completou.

Lessa foi comandante militar do Leste e da Amazônia e presidiu o Clube Militar. Ele já havia se manifestado a favor da intervenção militar em entrevista na semana passada à Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre.

"Vai ter derramamento de sangue, infelizmente é isso que a gente receia." E acrescentou que essa crise "vai ser resolvida na bala", reiterou na ocasião.

Em nota enviada ao Estado de S.Paulo, o Exército disse que as declarações do general de exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa representam a "opinião pessoal" dele.

"O Exército brasileiro pauta sua atuação dentro dos parâmetros legais balizados pela Constituição Federal e outras normas que regem o assunto", escreveram.

Postar um comentário