Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Quem vai receber 'resposta esmagadora' do Irã pelo atentado em Ahvaz?

No sábado (22), militantes armados abriram fogo contra uma parada militar na cidade de Ahvaz, matando 29 pessoas e ferindo outras 60. O Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, que perdeu 12 de seus militares no atentado, prometeu que o Irã daria uma "resposta esmagadora" aos envolvidos no ataque. Mas de quem Teerã irá se vingar?
Sputnik

A responsabilidade pelo atentado foi assumida pelo Movimento Democrático Patriótico Árabe de Ahvaz (Al-Ahvazia), ligado à Arábia Saudita.

O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, comentando a tragédia, afirmou que os atacantes receberam dinheiro da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos e que tinham sido apoiados pelos EUA.

Ex-chefe do Conselho de Cultura da administração presidencial iraniana, doutor Abbas Amirifar, acredita que por trás do ataque em Ahvaz estão países do Ocidente que "têm uma atitude hostil perante o Irã".

"Vale destacar que os terroristas que disseram estar envolvidos no atentado instalaram-se no Oc…

Sede do Crescente Vermelho em Duma é fechada por ofensiva governamental síria

A sede do Crescente Vermelho em Duma, reduto rebelde nos arredores de Damasco, foi fechada decido à ofensiva governamental lançada contra a cidade síria, segundo informou a organização humanitária neste domingo.


EFE

Cairo - As instalações foram "declaradas fora de serviço" no sábado pela "situação em desenvolvimento" em Duma, em alusão à ofensiva militar, indicou a entidade.


Trabalhadores do Crescente Vermelho em Duma em foto de março de 2018. EFE/ Youssef Badawi
Trabalhadores do Crescente Vermelho em Duma em foto de março de 2018. EFE/ Youssef Badawi

O Crescente Vermelho explicou que, apesar do fechamento, continuará a prestar serviços em Duma, da mesma forma que no restante da Síria, mas reiterou a importância de se garantir a segurança dos voluntários e das instalações usadas para a assistência humanitária.

Duma é alvo de uma ofensiva governamental desde a sexta-feira passada, após o fracasso das negociações entre a Rússia e o grupo Exército do Islã, que controla a cidade.

O novo aumento da violência causou a morte de 96 civis, entre eles 27 crianças e 16 mulheres em Duma, segundo a última apuração do Observatório Sírio de Direitos Humanos.

O Observatório informou que os bombardeios na cidade foram interrompidos neste domingo, depois que o governo sírio anunciou que o Exército do Islã se ofereceu a voltar às negociações.

A Defesa Civil síria e ONGs denunciaram que as forças leais ao presidente Bashar al Assad realizaram no sábado um ataque químico em Duma que causou a morte de pelo menos 42 civis e feriu outros 500. Tanto as autoridades sírias como a Rússia negaram o uso de armas químicas nos bombardeios de Duma.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas