Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Três militares sauditas mortas no Iêmen

Segundo a Agência de Notícias da Arábia Saudita, três militares sauditas foram mortas em uma operação no Iêmen.


Pars Today

A mídia saudita relatou o assassinato de militares em um conflito com as forças iemenitas de Ansarallah.


Três militares sauditas mortas no Iêmen

A mídia não deu detalhes sobre a operação, incluindo o tempo e o local exato.

O canal de TV iemenita Al Masirah também anunciou que as unidades de mísseis do Iêmen e os comitês populares tinham como alvo as posições dos mercenários sauditas em Najran no sábado.

A Arábia Saudita e seus aliados regionais atacaram o Iêmen em março de 2015 para trazer de volta ao poder o presidente deposto do Iêmen Abdrabbuh Mansour Hadi.

Milhares de iemenitas foram mortos nos ataques da coalizão saudita-americana e mais de 2.000 morreram devido a uma epidemia de cólera.

Os sauditas, em seu último crime de guerra no Iêmen, bombardearam uma festa de casamento em Hajjah e mataram dezenas de civis inocentes, incluindo crianças.

Postar um comentário