Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Trump ordenou ataques aéreos contra Síria

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou neste sexta-feira que deu ordens para ataques aéreos de precisão na Síria.


Sputnik

"Uma operação combinada com as forças armadas da França e do Reino Unido está em andamento", disse o presidente Trump em rede nacional na noite desta sexta-feira.


Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa em Ohio, em 29 de março de 2018
Donald Trump © AP Photo / Pablo Martinez Monsivais

"Estamos preparados para sustentar essa resposta" até Assad interromper o uso de armas químicas, disse Trump, mas "a América não busca presença indefinida na Síria, sob nenhuma circunstância".

"O destino da região está nas mãos de seu próprio povo", disse o presidente norte-americano.

Segundo ele, os ataques são um "resultado direto" da incapacidade da Rússia de impedir Assad de usar armas químicas, que ele comparou a "crimes de um monstro".

"O presidente Trump aprovou ataques militares dos EUA na Síria", disse o repórter do Pentágono, Lucas Tomlinson, citando um funcionário do governo.

EUA, Reino Unido e França prometeram esta semana uma "resposta internacional" contra o presidente sírio, Bashar Assad, pelo suposto uso de armas químicas em Douma.

As defesas aéreas sírias foram ativadas e "explosões" foram ouvidas em Damasco.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas