Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Donetsk declara estar em prontidão de combate para se defender de suposta ofensiva de Kiev

Os destacamentos da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD) estão em prontidão de combate total e completamente equipados com todo o necessário para o caso de haver uma possível ofensiva das Forças Armadas da Ucrânia em Donbass, declarou aos jornalistas o vice-comandante da Milícia Popular da RPD, Eduard Basurin.
Sputnik

Anteriormente, Donetsk denunciou a preparação de um grande ataque por parte de Kiev no sul da região de Donetsk com uso de veículos blindados pesados, artilharia e lançadores múltiplos de foguetes.


Segundo dados da inteligência, a ofensiva foi programada para 14 de dezembro com o objetivo final de tomar sob controle a fronteira com a Rússia. O líder da RPD, Denis Pushilin, declarou por sua vez que as forças de Donetsk estavam prontas para repelir o ataque.

"Todas as unidades militares foram colocadas em prontidão de combate total. Desde o momento em que recebemos informação sobre a preparação de uma ofensiva em grande escala do lado ucraniano, os nossos des…

Vladimir Putin e Emmanuel Macron defendem manutenção de acordo nuclear iraniano

Comunicado foi divulgado após Macron telefonar para Putin e informá-lo sobre encontro com o presidente americano Donald Trump na última semana.


France Presse


Vladimir Putin e Emmanuel Macron defenderam nesta segunda-feira (30) a manutenção e "estrita aplicação" do acordo nuclear iraniano, segundo o Kremlin.

Emmanuel Macron e Vladimir Putin durante encontro no Castelo de Versailles, em 2016 (Foto: REUTERS/Alexander Zemlianichenko/Pool)
Emmanuel Macron e Vladimir Putin durante encontro no Castelo de Versailles, em 2016 (Foto: REUTERS/Alexander Zemlianichenko/Pool)

"Os presidentes da Rússia e da França se pronunciaram a favor de manter e aplicar estritamente" o acordo de 2015, anunciou o Kremlin em um comunicado, divulgado depois que Emmanuel Macron telefonou a Vladimir Putin para informá-lo de seu encontro na semana passada nos Estados Unidos com o presidente americano Donald Trump.

O presidente americano deve anunciar até 12 de maio se, como prometeu, "rasgará" este texto assinado em julho de 2015 pelo Irã e seis grandes potências após duras negociações.

Seu conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, afirmou no domingo que Trump ainda não havia tomado uma decisão.

Ele acrescentou que o presidente estava considerando a proposta de seu colega francês de abrir negociações para um novo acordo ampliado.

Macron propôs a Trump preservar o acordo original que se tornaria o primeiro dos "quatro pilares" de um texto futuro.

Os outros "pilares" dizem respeito ao período pós-2025, quando certas cláusulas relativas às atividades nucleares vão expirar, mas também aos mísseis balísticos de Teerã e ao seu papel considerado "desestabilizador" na região. A Rússia declarou que não via "alternativa" ao acordo.

O presidente iraniano, Hassan Rohani, ressaltou no domingo que seu país não aceitaria "qualquer restrição além de seus compromissos atuais".

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas