Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Ao menos 12 mortos por ataque contra mesquita em Afeganistão

Ao menos 12 pessoas morreram e 35 resultaram feridas hoje na oriental província afegã de Khost depois de um atentado em uma mesquita utilizada como centro de registro de votantes.



PRENSA LATINA

Kabul - O chefe da polícia de Khost, Abdul Mannan, explicou à imprensa que as primeiras investigações apontam a um artefato explosivo improvisado, que foi escondido no lugar.

Reprodução

Por sua vez, o diretor provincial de Saúde Pública, Habib Shah, confirmou o número de vítimas mortais.

Até o momento nenhum grupo armados reclamou a autoria do novo atentado.

Nas últimas semanas os militantes executaram diversos ataques contra centros de registro de votantes como parte de sua campanha para impedir as eleições.

O mais cruento ocorreu o 22 de abril, quando um duplo atentado suicida, reivindicado pelo Estado Islâmico, provocou 60 mortos e mais de uma centena de feridos nesta capital.

De forma paralela, o porta-voz do governo da suroriental província de Zabul, Islã Sayal, anunciou neste domingo que ao menos 38 insurgentes foram abatidos nas últimas horas no território como parte das operações do Exército e das forças de segurança.

Durante a ofensiva oito uniformizados perderam a vida e outros nove resultaram feridos, precisou.

Enquanto, o governo da província de Baghalan anunciou que esta manhã um grupo de armados sequestrou ali a sete trabalhadores, seis deles índios, pertencentes à companhia KEC.

Ontem à noite um atacante suicida detonou os explosivos que carregava em frente à residência do chefe da polícia da sureña cidade de Kandahar, general Abdul Raziq, ainda que o oficial escapou ileso.

Segundo a televisora Tolo News, depois da explosão outros dois homens armados começaram a disparar contra as forças de segurança que custodiavam a casa.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas