Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

ARA San Juan zarpou com comida e oxigênio insuficientes, revela investigação

O submarino da Marinha Argentina ARA San Juan, que desapareceu em novembro com 44 tripulantes a bordo, zarpou com comida e oxigênio insuficientes, bem como com materiais expirados, informou a mídia local.


Sputnik

Com base nos documentos apresentados no Congresso argentino pelo chefe de Gabinete, Marcos Peña, a advogada do caso ARA San Juan, Valeria Carrera, demonstrou que o estoque de comida deveria ser suficiente para toda a tripulação por sete dias, contudo, foi suficiente somente para 34 tripulantes.

Submarino argentino ARA San Juan (foto de arquivo)
ARA San Juan © AP Photo/ Courtesy of Argentine Nav

De acordo com informações proporcionadas por Carrera, o submarino partiu para a missão sem volta com "240 unidades de conservas mistas", e a mesma quantidade de "bebidas energéticas de meio litro", além de duas barras de cereais e dois chocolates por tripulante.

Contudo, além de alimentos, o oxigênio não era suficiente também. O ARA San Juan "zarpou com 1.059" filtros "canister", utilizados para evitar contaminação por hidróxido de carbono, quando o recomendado corresponde a 1.600 unidades. Além disso, 95% dos filtros já estavam fora de validade. O submersível tinha somente "24 dispositivos de oxigênio OR 3.000" para seis dias de emergência, quando "o fabricante do submarino recomenda ter 100" dispositivos, assegurou Carrera.

A mídia argentina recordou também que alguns meses antes do desaparecimento, o comandante do submarino, Pedro Martín Fernández, fez várias reclamações à Marinha, como, por exemplo, exigiu aumentar o número de conservas para viagens duradouras ou apontou que muita quantidade de bebidas em missões anteriores foi comprada pelos próprios tripulantes.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas