Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Merkel: Esforços pelo desarmamento devem incluir EUA, Rússia, UE e China

A declaração da chanceler alemã ocorre em meio a um impasse entre Moscou e Washington, depois que os EUA anunciaram a suspensão do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF).
Sputnik

"O desarmamento é algo que preocupa a todos nós e é claro que ficaríamos felizes se essas conversas fossem realizadas não apenas entre os Estados Unidos, Europa e Rússia, mas também com a China", afirmou Angela Merkel na Conferência de Segurança de Munique, no sábado.


Comentando o assunto, o Ministro da Economia e Energia da Alemanha, Peter Altmaier, observou que o término do acordo poderia levar a uma nova corrida armamentista.

No início de fevereiro, Washington disse que estava suspendendo as obrigações previstas sob o Tratado INF. A Rússia respondeu da mesma maneira. Os EUA disseram que sairiam do tratado em seis meses, a menos que a Rússia voltasse a cumprir o acordo, mas Moscou refuta as alegações de violação do.

Washington também se mostrou favorável a um novo texto envolvendo t…

Armas fabricadas em Israel são encontradas com rebeldes na Síria (VÍDEO)

Minas terrestres israelenses foram encontradas em uma grande quantidade de armas pesadas entregues por rebeldes no sul de Damasco, informou a mídia estatal da Síria neste sábado. Damasco acusou repetidamente Tel Aviv de ajudar militantes contrário ao governo de Bashar Assad.


Sputnik

Enquanto o Exército sírio está expulsando os últimos terroristas remanescentes da periferia sul de Damasco, aqueles que se recusam a abandonar completamente suas armas e a se render estão sendo evacuados para regiões controladas pelo rebelde no norte da Síria, principalmente Idlib.


Os rebeldes descansam perto de um buraco na parede nos arredores da cidade sírio de al-Bab, na Síria 15 de janeiro de 2017
Terroristas na cidade síria de al-Bab © REUTERS / Khalil Ashawi

Como parte do acordo com as autoridades sírias, os militantes estão deixando para trás armas médias e pesadas, como as encontradas neste sábado.

Antes da evacuação nas cidades de Yelda, Babila e Beit Sahem, os militantes abandonaram centenas de armas e munições, incluindo lançadores de morteiros, metralhadoras, foguetes e morteiros, pólvora, precursores de explosivos caseiros, bem como fabricados por Israel minas terrestres, informou a agência estatal síria SANA, que postou um vídeo dos armamentos.

Esta não é a primeira vez que armas feitas por israelenses são encontradas com militantes. Em fevereiro, foi relatado que o Exército sírio encontrou armazéns que estavam cheios de armas, algumas das quais eram de fabricação israelense, enquanto inspecionavam as áreas de Al Boukamal e Al Mayadin em Deir ez-Zor, que foi libertada pelos sírios das forças do Daesh, no outono do ano passado.

Desde o início das hostilidades na Síria, os militares sírios apreenderam repetidamente armamentos e munições com inscrições em hebraico. Em abril de 2016, as forças sírias detiveram um veículo repleto de minas, morteiros, foguetes e granadas de mão fabricados por Israel e destinados a uma área controlada pelo Daesh no leste da Síria.

Israel diz que fornece assistência humanitária às forças sírias contrárias ao governo, mas permanece em silêncio sobre o aparente suprimento de armas. Enquanto isso, o jornal israelense Haaretz informou em fevereiro que pelo menos sete grupos rebeldes sunitas nas colinas de Golã ocupadas por Israel estão recebendo armas e munição de Israel. Além disso, a quantidade de assistência militar direta que recebem está sendo aumentada nos últimos meses.

A Síria já havia acusado Israel de travar uma guerra por intermédio de suas milícias aliadas, com o presidente sírio, Bashar Assad, dizendo que as autoridades israelenses estavam do lado dos terroristas "seja logisticamente, seja através de ataques diretos ao nosso exército".

Isso ocorre na época de tensões crescentes entre os dois países e apenas alguns dias depois de Israel lançar uma série de foguetes contra alvos iranianos na Síria em retaliação a um suposto ataque das Forças Quds do Irã contra posições israelenses em Golã. Ao menos três pessoas foram mortas e duas ficaram feridas no bombardeio, que foi condenado pelo Irã como uma violação flagrante da soberania da Síria.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas