Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

Aviões norte-americanos realizam reconhecimento perto das fronteiras russas

Dois aviões norte-americanos realizaram voos de reconhecimento perto das fronteiras da Rússia, segundo o portal Mil Radar, que monitora as atividades da aviação militar.


Sputnik

Segundo mostram as fotos publicadas no Twitter, um avião de reconhecimento RC-135V estadunidense, que saiu da base de Mildenhall no Reino Unido, sobrevoou o mar Báltico e a Polônia perto da região russa de Kaliningrado.


Avião de reconhecimento da Força Aérea dos EUA RC-135 (foto de arquivo)
Boeing RC-135 da USAF © AFP 2018 / GREG DAVIS / USAF

O outro avião, um Boeing P-8A Poseidon da Força Aérea dos EUA, decolou da base de Amari na Estônia e também realizou um voo sobre o mar Báltico perto da fronteira russa.

Em 2 de maio, a mídia estadunidense informou que um caça russo Su-27 tinha interceptado um avião antissubmarino norte-americano Boeing P-8 Poseidon sobre o Báltico, descrevendo que as ações do piloto russo não representaram risco mas não foram profissionais.

O Ministério da Defesa da Rússia, por sua parte, relatou que, apenas na última semana de abril, 17 aviões estrangeiros realizaram voos de reconhecimento perto das fronteiras russa. Caças russos levantaram voo dez vezes para interceptar e escoltar estas aeronaves.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas