Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Expansão da OTAN na Europa é uma 'relíquia da Guerra Fria', diz Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse em entrevista à imprensa sérvia publicada nesta quarta-feira (horário local) que a Rússia não quer uma nova corrida armamentista.
Sputnik

"Não vamos fechar os olhos ao desdobramento de mísseis de cruzeiro dos EUA [na Europa] e sua ameaça direta à nossa segurança. Teremos que tomar medidas eficazes de retaliação. Mas como país responsável e sensato, a Rússia não está interessada em uma nova corrida armamentista", afirmou.


Segundo o presidente russo, Moscou enviou em dezembro a Washington algumas propostas sobre a manutenção do Tratado INF. Além disso, Putin destacou que a Rússia está pronta para um diálogo sério com os Estados Unidos sobre toda a agenda estratégica.

No entanto, os Estados Unidos parecem ter uma política de "desmantelamento" em relação ao controle global de armas, acrescentou o presidente russo.

Durante a entrevista aos meios de comunicação sérvios, Putin também instou os parceiros ocidentais a estabelecer um …

China denuncia Marinha dos EUA por entrar em águas chinesas

Pequim critica os navios da Marinha dos EUA por entrarem nas águas territoriais das Ilhas Paracel sem permissão expressa das autoridades chinesas, disse neste domingo (27) o chefe do gabinete de informação do Ministério da Defesa Nacional da China, Wu Qian.


Sputnik

"Os navios da Marinha dos EUA entraram nas águas territoriais perto das ilhas de Xisha [Paracel] sem uma autorização das autoridades chinesas em 27 de maio", disse Wu.

O destróier Hefei da classe 052D da Marinha chinesa chega a Baltiysk para os treinamentos da China e da Rússia Cooperação Naval 2017
Destroier chinês Hefei, da Classe 052D © Sputnik / Igor Zarembo

O representante do ministério chamou essas manobras de provocação, "uma violação das leis chinesas e das leis internacionais correspondentes, uma grave violação não cerimonial da soberania territorial chinesa, que mina a confiança mútua estratégica dos dois países".

Segundo Wu, a China enviou aviões militares para avisar os navios dos EUA e pedir-lhes para sair das águas territoriais.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Lu Kang, pediu que Washington pare as provocações, disse, no domingo.

"O lado chinês transmitiu ao lado dos EUA sua grave insatisfação e forte objeção sobre as ações em questão. Estamos insistindo fortemente que o lado norte-americano interrompa imediatamente tais atividades provocativas, minando a soberania e ameaçando a segurança nacional da China", disse o porta-voz em um comunicado.

O representante do Ministério das Relações Exteriores chinês enfatizou que Pequim continuará fazendo todo o necessário para garantir a segurança do país.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas