Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

China denuncia Marinha dos EUA por entrar em águas chinesas

Pequim critica os navios da Marinha dos EUA por entrarem nas águas territoriais das Ilhas Paracel sem permissão expressa das autoridades chinesas, disse neste domingo (27) o chefe do gabinete de informação do Ministério da Defesa Nacional da China, Wu Qian.


Sputnik

"Os navios da Marinha dos EUA entraram nas águas territoriais perto das ilhas de Xisha [Paracel] sem uma autorização das autoridades chinesas em 27 de maio", disse Wu.

O destróier Hefei da classe 052D da Marinha chinesa chega a Baltiysk para os treinamentos da China e da Rússia Cooperação Naval 2017
Destroier chinês Hefei, da Classe 052D © Sputnik / Igor Zarembo

O representante do ministério chamou essas manobras de provocação, "uma violação das leis chinesas e das leis internacionais correspondentes, uma grave violação não cerimonial da soberania territorial chinesa, que mina a confiança mútua estratégica dos dois países".

Segundo Wu, a China enviou aviões militares para avisar os navios dos EUA e pedir-lhes para sair das águas territoriais.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Lu Kang, pediu que Washington pare as provocações, disse, no domingo.

"O lado chinês transmitiu ao lado dos EUA sua grave insatisfação e forte objeção sobre as ações em questão. Estamos insistindo fortemente que o lado norte-americano interrompa imediatamente tais atividades provocativas, minando a soberania e ameaçando a segurança nacional da China", disse o porta-voz em um comunicado.

O representante do Ministério das Relações Exteriores chinês enfatizou que Pequim continuará fazendo todo o necessário para garantir a segurança do país.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas