Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Quem vai receber 'resposta esmagadora' do Irã pelo atentado em Ahvaz?

No sábado (22), militantes armados abriram fogo contra uma parada militar na cidade de Ahvaz, matando 29 pessoas e ferindo outras 60. O Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, que perdeu 12 de seus militares no atentado, prometeu que o Irã daria uma "resposta esmagadora" aos envolvidos no ataque. Mas de quem Teerã irá se vingar?
Sputnik

A responsabilidade pelo atentado foi assumida pelo Movimento Democrático Patriótico Árabe de Ahvaz (Al-Ahvazia), ligado à Arábia Saudita.

O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, comentando a tragédia, afirmou que os atacantes receberam dinheiro da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos e que tinham sido apoiados pelos EUA.

Ex-chefe do Conselho de Cultura da administração presidencial iraniana, doutor Abbas Amirifar, acredita que por trás do ataque em Ahvaz estão países do Ocidente que "têm uma atitude hostil perante o Irã".

"Vale destacar que os terroristas que disseram estar envolvidos no atentado instalaram-se no Oc…

China denuncia Marinha dos EUA por entrar em águas chinesas

Pequim critica os navios da Marinha dos EUA por entrarem nas águas territoriais das Ilhas Paracel sem permissão expressa das autoridades chinesas, disse neste domingo (27) o chefe do gabinete de informação do Ministério da Defesa Nacional da China, Wu Qian.


Sputnik

"Os navios da Marinha dos EUA entraram nas águas territoriais perto das ilhas de Xisha [Paracel] sem uma autorização das autoridades chinesas em 27 de maio", disse Wu.

O destróier Hefei da classe 052D da Marinha chinesa chega a Baltiysk para os treinamentos da China e da Rússia Cooperação Naval 2017
Destroier chinês Hefei, da Classe 052D © Sputnik / Igor Zarembo

O representante do ministério chamou essas manobras de provocação, "uma violação das leis chinesas e das leis internacionais correspondentes, uma grave violação não cerimonial da soberania territorial chinesa, que mina a confiança mútua estratégica dos dois países".

Segundo Wu, a China enviou aviões militares para avisar os navios dos EUA e pedir-lhes para sair das águas territoriais.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Lu Kang, pediu que Washington pare as provocações, disse, no domingo.

"O lado chinês transmitiu ao lado dos EUA sua grave insatisfação e forte objeção sobre as ações em questão. Estamos insistindo fortemente que o lado norte-americano interrompa imediatamente tais atividades provocativas, minando a soberania e ameaçando a segurança nacional da China", disse o porta-voz em um comunicado.

O representante do Ministério das Relações Exteriores chinês enfatizou que Pequim continuará fazendo todo o necessário para garantir a segurança do país.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas