Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

China denuncia Marinha dos EUA por entrar em águas chinesas

Pequim critica os navios da Marinha dos EUA por entrarem nas águas territoriais das Ilhas Paracel sem permissão expressa das autoridades chinesas, disse neste domingo (27) o chefe do gabinete de informação do Ministério da Defesa Nacional da China, Wu Qian.


Sputnik

"Os navios da Marinha dos EUA entraram nas águas territoriais perto das ilhas de Xisha [Paracel] sem uma autorização das autoridades chinesas em 27 de maio", disse Wu.

O destróier Hefei da classe 052D da Marinha chinesa chega a Baltiysk para os treinamentos da China e da Rússia Cooperação Naval 2017
Destroier chinês Hefei, da Classe 052D © Sputnik / Igor Zarembo

O representante do ministério chamou essas manobras de provocação, "uma violação das leis chinesas e das leis internacionais correspondentes, uma grave violação não cerimonial da soberania territorial chinesa, que mina a confiança mútua estratégica dos dois países".

Segundo Wu, a China enviou aviões militares para avisar os navios dos EUA e pedir-lhes para sair das águas territoriais.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Lu Kang, pediu que Washington pare as provocações, disse, no domingo.

"O lado chinês transmitiu ao lado dos EUA sua grave insatisfação e forte objeção sobre as ações em questão. Estamos insistindo fortemente que o lado norte-americano interrompa imediatamente tais atividades provocativas, minando a soberania e ameaçando a segurança nacional da China", disse o porta-voz em um comunicado.

O representante do Ministério das Relações Exteriores chinês enfatizou que Pequim continuará fazendo todo o necessário para garantir a segurança do país.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas