Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

China reafirma apoio à causa palestina e condena violência israelense

China reafirmou hoje seu apoio ao direito da Palestina a ter um Estado próprio, depois de rechaçar e manifestar preocupação pela violência de Israel com saldo mortal contra uma manifestação civil na faixa de Gaza.


Prensa Latina
Beijing - Lu Kang, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, reiterou que seu Governo respalda a causa justa do povo palestino a restaurar o direito à livre determinação e a dispor de um Estado independente e soberano, com sua capital em Jerusalém Oriental e as fronteiras prévias a 1967.

Lu Kang, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China | Reprodução

Qualificou de sensível e complicado o tema do status dessa cidade, ao expressar séria preocupação e oposição aos enfrentamentos que deixaram pelo menos 58 pessoas mortas e mais de duas mil feridas.

Lu urgiu às partes, especialmente a Israel, de abster-se de piorar a situação, resolver os problemas pela via do diálogo e em concordância com as resoluções da Organização das Nações Unidas.

'As negociações de paz entre Palestina e Israel devem ser retomadas o mais rápido possível para tentar uma resolução final ao status de Jerusalém', enfatizou o porta-voz da chancelaria, e chamou a comunidade internacional a cooperar com esse objetivo.

Com suas declarações, China soma-se à onda de condenação mundial ao ataque armado de militares israelenses contra uma manifestação ontem em Gaza que rejeitava a transferência da embaixada dos Estados Unidos de Tel Aviv para Jerusalém, em violação de vários acordos internacionais.

Postar um comentário