Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Comissão Europeia cancela sanções dos EUA anti-iranianas dentro da UE

De acordo com a declaração emitida na sexta-feira (18) pela Comissão Europeia, a instituição vai proteger os interesses das empresas da União que investem no Irã como parte do cumprimento do acordo nuclear iraniano.


Sputnik

A comissão "deu início ao processo formal para ativar o Status de Bloqueio atualizando, assim, a lista de sanções norte-americanas contra Teerã dentro do seu espaço", diz-se na declaração.

Bandeiras da União Europeia em frente à sede da Comissão Europeia em Bruxelas
Sede da Comissão Europeia em Bruxelas © Sputnik / Aleksei Vitvitsky

As medidas vão permitir que o Banco Europeu de Investimentos (EIB, na sigla em inglês) apoie os investimentos da União Europeia no Irã que poderiam ser muito úteis tanto para pequenas como médias empresas.

As medidas vão entrar em vigor dentro de dois meses a menos que o Parlamento Europeu e os governos dos países-membros da União Europeia formalmente rejeitem cancelamento das sanções.

Hoje mais cedo, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, anunciou que o bloco estava planejando aplicar uma lei de 1996 que proibiria cumprimento por empresas europeias de qualquer sanção norte-americana contra Teerã.

No dia 8 de maio, o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou a saída dos EUA do acordo nuclear iraniano. Além do mais, os EUA restauraram restrições contra o país, incluindo sanções secundárias em relação a países que mantêm negócio com o Irã, antes suspensas pelo Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA na sigla em inglês).

Postar um comentário

Postagens mais visitadas