Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Delegação da oposição síria chega a Astana para nona rodada de negociações

Uma delegação da oposição armada da Síria chegou nesta terça-feira a Astana para participar da nona rodada de negociações sobre a solução do conflito no país, que começou ontem na capital do Cazaquistão e na qual não participam representantes dos Estados Unidos.


EFE

Astana - "Representantes da oposição armada da Síria chegaram a Astana esta manhã. A delegação está composta por 24 pessoas", afirmaram fontes do Ministério das Relações Exteriores cazaque.

Imagem relacionada
Astana, Cazaquistão | Reprodução

A delegação inclui "praticamente todos os atores principais" da oposição que representam "Idlib e outras zonas de conflito", explicou Aydarbek Tumatov, diretor para a Ásia e a África da chancelaria cazaque.

Representantes do governo sírio e da oposição armada negociam no processo de Astana com a intermediação dos três países fiadores do cessar-fogo - Rússia, Turquia e Irã - que está em vigor há quase um ano e meio no país árabe.

Tumatov acrescentou que o Cazaquistão pode sediar novas negociações sobre a Síria, em referência a um possível Astana-10, pois "há um entendimento sobre a necessidade de realizar outras rodadas de conversas, talvez mais de uma".

Quanto a ausência de representantes dos Estados Unidos nas consultas, o diplomata descartou que esta circunstância possa influenciar no processo negociação.

"Os países fiadores estão participando. Agora tudo depende deles. Além disso, participam representantes da oposição síria e do governo. Todas as forças estão aqui, o que mais é necessário?", disse.

Esta tarde, Rússia, Turquia e Irã apresentarão uma declaração final com os resultados da nona rodada de consultas em Astana.

A principal conquista do processo de Astana foi a criação de quatro zonas de distensão na Síria - nas províncias de Idlib, Homs, Ghouta e na fronteira com a Jordânia - territórios nos quais está proibida qualquer atividade militar, inclusive voos de aviões.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas