Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Su-57 russo supera caças de 5ª geração F-22 e F-35 dos EUA, diz piloto militar

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou este modelo de suas vantagens sobre aeronaves russas, segundo a mídia norte-americana. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um piloto militar russo comentou a situação.
Sputnik

A utilização de caças norte-americanos F-22 na Síria privou os EUA das vantagens destes caças em relação aos caças russos, escreveu o jornal Military Watch. Segundo Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA, os céus do Iraque e da Síria se tornaram "armazém de informações" para russos sobre atuação de caças estadunidenses durante operações.

Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade dos F-22, além de terem coletado dados sobre o uso da aeronave e encontrado meios de combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia …

Deputada ucraniana exige concentrar militares na fronteira com Crimeia

Uma deputada ucraniana exigiu posicionar mais forças militares ucranianas na fronteira com a Crimeia "ocupada" para "prestar resistência efetiva à atividade subversiva da Rússia".


Sputnik

A chefe do Comitê de Assuntos Internacionais da Suprema Rada (parlamento ucraniano), Anna Gopko apelou para as autoridades exigindo deslocar uma unidade da Guarda Nacional na fronteira com a Crimeia e também aumentar o número de militares nas regiões fronteiriças com a Rússia.


Ponto de controle na fronteira russo-ucraniana Dzhankoy, Crimeia, Rússia (foto de arquivo)
Ponto de controle na fronteira entre Rússia e Ucrânia na Crimeia © Sputnik / Aleksandr Polegenk

De acordo com a política, a situação atual no sul da região de Kherson representa um problema para a segurança nacional da Ucrânia. Em sua opinião, desde 2014 nada tem mudando para Kiev.

"Em quatro anos, as capacidades de defesa da Ucrânia têm aumentado significativamente, mas a presença militar perto da Crimeia ocupada é mínima. Não é suficiente para prestar resistência efetiva à atividade subversiva da Rússia", escreveu a deputada no Facebook.

No entanto, não está claro do que a "atividade subversiva" russa se trata, visto que é a parte ucraniana que normalmente organiza provocações ou as anuncia.

Por exemplo, na fronteira com a Crimeia apareceram anúncios que indiretamente chamam para a conquista da península.

Além disso, Kiev regularmente apela para "retirar" a ponte da Crimeia da Rússia ou impor sanções contra aqueles que a atravessam para atingir a península.

Quanto aos moradores da própria península, eles explicam tal compartimento por "fantasia doente" das autoridades ucranianas.

A Crimeia retornou à Rússia em 2014 em um referendo, com mais de 90% dos moradores escolhendo a reunificação. No entanto, Kiev ainda considera a península do território ucraniano.

Autoridades russas ressaltaram repetidas vezes que a reunificação ocorreu por meio de um referendo, de acordo com as leis internacionais.

Postar um comentário